Christina Lemos Energia: “situação será desafiadora” até novembro, diz Ministério

Energia: “situação será desafiadora” até novembro, diz Ministério

País registra pior crise hídrica em 91 anos. Operador Nacional do Sistema fala em "esgotamento até novembro". Duas novas campanhas alertarão para urgência da economia de água.

Bento Albuquerque, Ministro de Minas e Energia: governo será "transparente" quanto aos riscos. 

Foto: Isac Nóbrega/PR

Bento Albuquerque, Ministro de Minas e Energia: governo será "transparente" quanto aos riscos. Foto: Isac Nóbrega/PR

Isac Nóbrega/PR - 02.04.2020

Diante do último cenário traçado pela ONS – Operador Nacional do Sistema, de “esgotamento”, até novembro, dos recursos para produção de energia, duas novas campanhas públicas serão lançadas nos próximos dias, alertando a população para a necessidade urgente de economia de água. Outros mecanismos de compensação já estão prontos para serem acionados de forma escalonada, pelo Ministério de Minas e Energia, para enfrentar os próximos meses, quando o Brasil viverá “uma situação desafiadora”, segundo fonte ligada ao ministro Bento Albuquerque, que, neste momento, representa o Brasil no G-20, na Itália. 

“Temos sido transparentes e vamos continuar assim. O alerta está sendo dado desde dezembro. Vivemos a pior crise hídrica em 91 anos”, explica fonte da área técnica. No entanto, tanto o governo federal, quanto a ONS, sustentam que o abastecimento está “garantido”. As duas campanhas serão de responsabilidade da Procel/Eletrobrás e da Abrad/Aneel, e devem ser amplamente veiculadas já em agosto.

Entre as medidas sugeridas pelo gestor nacional estão “a utilização dos reservatórios das usinas hidrelétricas das bacias do Rio Grande e do São Francisco, para garantir a segurança de atendimento eletroenergético do País”.  Outra orientação do ONS ao governo federal é a compra de energia adicional de usinas que não têm contrato de venda vigentes. São as chamadas Merchants, cujo foco é a geração excedente.

O documento da ONS alerta que “ se observam sobras bastante reduzidas no mês de outubro, com esgotamento de praticamente todos os recursos no mês de novembro”.

Últimas