Major mantém confiança de Bolsonaro e pode virar ministro

Mudança obedece à conveniência política de contemplar integrante do Centrão em cargo chave da articulação parlamentar

Deputado Vitor Hugo deve "cair para cima"

Deputado Vitor Hugo deve "cair para cima"

Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados - 09.06.2020

O acordo firmado entre o presidente Bolsonaro e o líder Vítor Hugo (PSL-GO) é que o deputado permaneça na liderança do governo na Câmara até a próxima terça-feira.

A indicação de Ricardo Barros (PP-PR) é mais um passo conquistado pelo Centrão e efetiva a união dos partidos deste bloco com o governo Bolsonaro, entregando ao ex-ministro da Saúde de Temer parte importante da articulação política do governo na Câmara dos Deputados.

Leia mais: Bolsonaro troca líder do governo na Câmara

Barros tem muito mais proximidade e capacidade de articulação junto a Rodrigo Maia do que tinha o major Vitor Hugo, que chegou a ser barrado por Maia em reuniões na residência oficial do presidente da Câmara, assim que assumiu o posto de líder. Bolsonaro, no entanto, manteve o deputado no posto estratégico durante toda a primeira parte de sua gestão.

A expectativa é que Vítor Hugo “caia para cima” - como comentam aliados do líder. O deputado já foi cotado para a pasta da Educação.

Não está descartada a possibilidade de que o presidente Bolsonaro crie uma pasta para Segurança Pública, que seria desmembrada do Ministério da Justiça. A função combina com o perfil do futuro ex-líder, mas, nesta hipótese, Bolsonaro é aconselhado a aguardar a aprovação da autonomia do Banco Central - que retira do presidente da instituição financeira o status de ministro.

Nesta quarta, Vitor Hugo despacha de sua residência e aguarda oficialização da troca de posto, por parte do Planalto. A mudança foi acertada diretamente com Arthur Lira (PP-AL), que agirá em acordo com Ricardo Barros.