Christina Lemos MDB chega ao segundo turno como potência municipal

MDB chega ao segundo turno como potência municipal

O partido tem forte capilaridade e fez o maior número de prefeituras até aqui. PSDB sai muito à frente no estado de São Paulo. PT e PSL recuam.

MDB é o gestor da maior parte das cidades do país

MDB é o gestor da maior parte das cidades do país

Fábio Pozzebom/Agência Brasil

A poucas horas da decisão eleitoral em 57 grandes centros urbanos do Brasil, o mapa da política municipal deve mudar pouco neste segundo turno. Consideradas todas as cidades do país, o MDB confirma seu traço mais importante: o de gestor da maior parte dos municípios brasileiros, título que ostenta há várias disputas. O partido fechou o primeiro turno com vitória em 776 prefeituras, seguido do PP – legenda média, de centro-direita, com 682 vitórias nesta etapa.

No estado de São Paulo, é forte a hegemonia do PSDB nas prefeituras municipais. O partido entra no segundo turno com mais que o dobro do segundo colocado no hanking, consolidando sua força junto ao eleitorado local paulista. Das 605 cidades com prefeitos eleitos em primeiro turno no estado, 169 serão governadas por tucanos. Até aqui, segunda força política municipal em São Paulo é o DEM, que elegeu 67 prefeitos, seguido do PSD, com 62.

Entre os que mais recuaram na gestão municipal, neste pleito, estão PT e PSL. O eleitor das cidades brasileiras parece ter rejeitado nas urnas a polarização entre as duas representações partidárias. Considerando o mapa político nacional do primeiro turno, do conjunto das 5.410 cidades em que já houve decisão, o PT conquistou 179 prefeituras  e o PSL, apenas 90.

A contabilidade do cenário nacional muda pouco neste segundo turno, mas as vitórias deste domingo agregam muito em número de habitantes governados por esta ou aquela legenda, já que a disputa final é travada nos centros urbanos com mais de 200 mil habitantes – normalmente importantes focos de poder político nos respectivos estados.

Últimas