Christina Lemos Ministério da Saúde ainda não assinou contrato para compra de 54 milhões de doses da CoronaVac 

Ministério da Saúde ainda não assinou contrato para compra de 54 milhões de doses da CoronaVac 

Interesse pela aquisição foi manifestado em 29 de janeiro, mas o ato não foi formalizado. A assinatura garantiria 100 milhões de doses para o Programa Nacional de Imunização

Na manhã em que um voo com matéria-prima para fabricar 8,7 milhões de doses da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmaceutica chinesa Sinovac, desembarcou em São Paulo, aumentando otimismo em relação a imunização no Brasil, uma questão ainda chama a atenção: até o momento o Ministério da Saúde não assinou o compromisso de compra de 54 milhões de doses da CoronaVac produzidas pelo Butantan, apesar de ter manifestado o interesse pela aquisição em 29 de janeiro.

Chegada de insumos da CoronaVac em São Paulo: ministério da Saúde precisa assinar o contrato

Chegada de insumos da CoronaVac em São Paulo: ministério da Saúde precisa assinar o contrato

Governo do Estado de São Paulo - 10.02.2021

Para que essas 54 milhões de doses sejam incluídas no Programa Nacional de Imunização (PNI)  falta, portanto, o fundamental, o ato formal, para que o contrato tenha efeito jurídico.

 O que existe de concreto e firmado em contrato é a aquisição de 46 milhões de doses,previstas para serem entregues pelo Instituto Butantan ao Ministério da Saúde em abril. Mas para se chegar ao total de 100 milhões de doses falta a assinatura desse outro contrato.

Vale lembrar que 90% de todas as vacinas adotadas pelo Brasil são CoronaVac,  fabricadas pelo Butantan. O instituto já entregou ao Programa Nacional de Imunização (PNI), 9, 8 milhões de doses, cumprindo o combinado até agora. Sem que esse contrato seja formalizado, o Butatan está autorizado a repassar as doses adicionais para estados e municípios.

Últimas