Apagões pelo Brasil

Christina Lemos Ministro e Alcolumbre não descartam racionamento no Amapá

Ministro e Alcolumbre não descartam racionamento no Amapá

Estado passa por apagão de energia desde terça-feira. Preocupação é também com as eleições municipais marcadas para domingo (15)

  • Christina Lemos | Christina Lemos, da Record TV*

Racionamento de energia após apagão no Amapá não está descartado

Racionamento de energia após apagão no Amapá não está descartado

Pixabay

A caminho do Amapá, o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM) e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, discutem a possibilidade de um racionamento de energia no estado após o blecaute, que começou na terça-feira (3) e atingiu 14 dos 16 municípios. Um plano é avaliado, está em elaboração, mas ainda não foi definido.

Outra grande preocupação é com as eleições municipais marcadas para o próximo domingo (15). É preciso garantir que não haja impacto no processo eleitoral.

A oito dias do primeiro turno, as urnas eletrônicas alimentadas por baterias já foram solicitadas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Num contexto de pandemia do novo coronavírus, as dificuldades podem levar a uma maior abstenção no pleito. 

Neste sábado (7), houve uma reunião para discutir a gestão da crise no Amapá. Após o encontro, Alcolumbre e Albuquerque decolam para o estado. A previsão de pouso em Macapá é às 16h.

Os dois vão à subestação de energia e depois terão uma reunião com técnicos para decidir sobre o racionamento no estado. Na capital, a energia foi restabelecida. A estimativa é de que voltou a 70% dos municípios, mas o racionamento ainda seria necessário.

A expectativa é de que o ministro volte do estado neste domingo (8) e Alcolumbre fique no Amapá por mais alguns dias.

*Com informações de Livia Veiga, da Record TV

Últimas