Operação Lava Jato

Christina Lemos Na 2ª turma do STF, decisões da Lava Jato esperam por Mendonça

Na 2ª turma do STF, decisões da Lava Jato esperam por Mendonça

Aprovado pelos senadores nesta quarta (1º), indicado de Bolsonaro integrará colegiado que aprecia acusações contra políticos

André Mendonça: expectativa, diante de cenário indefinido no Senado

André Mendonça: expectativa, diante de cenário indefinido no Senado

Marcello Casal JrAgência Brasil - 29.04.2020

Agora aprovado pelos senadores para o STF (Supremo Tribunal Federal), o ex-ministro da Justiça André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro, deve desembarcar na corte já em dezembro e integrar a segunda turma, na qual atuam os ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Edson Fachin e Nunes Marques. É esse colegiado que julga primeiro as questões relativas à Lava Jato, conjunto de ações que reúnem acusações contra quase uma centena de políticos e investigados a eles relacionados.

Um dos fatores que causaram resistência ao nome de Mendonça é a incerteza sobre como será sua postura diante dessas ações, originadas no inquérito comandado pelo ex-juiz Sergio Moro.

Colaboram para a incerteza no placar do Senado até o fim da tarde desta quarta-feira (1º), quando o placar ficou em 47 votos a 32, fatores políticos relacionados à indicação. Senadores ouvidos pelo blog avaliam que a marca imposta pelo presidente Bolsonaro ao candidato à vaga de Marco Aurélio Mello, de “terrivelmente evangélico”, terminou por "contaminar o processo". A maioria entende que o cargo de juiz da Suprema Corte não deve ser influenciado por posições religiosas. Mendonça é pastor da Igreja Presbiteriana.

Posições assumidas por Mendonça quando ministro da Advocacia-Geral da União também foram arguidas na sabatina a que foi submetido na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Elas representariam forte grau de vinculação entre o indicado e o presidente Bolsonaro. No entanto, apoiadores de Mendonça rebateram, ressaltando que o papel institucional da AGU é exercer a defesa técnica do chefe do Executivo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas