Christina Lemos Posse no TSE: troca de provocações marca dia seguinte

Posse no TSE: troca de provocações marca dia seguinte

Solenidade de posse de Alexandre de Moraes vira novo alvo de discórdia e disputa entre candidatos e apoiadores

O presidente Jair Bolsonaro conversa com o ministro Alexandre de Moraes, novo presidente do TSE

O presidente Jair Bolsonaro conversa com o ministro Alexandre de Moraes, novo presidente do TSE

Clébio Cavagnolle/Record TV

A aparência de trégua marcada pelo comparecimento de representantes de campos políticos antagônicos à posse do novo presidente do TSE, Alexandre de Moraes, não durou 24 horas. Na manhã desta quarta-feira (17), a solenidade está no centro da disputa política, inclusive com provocações e respostas irritadas.

“Bolsonaro estava muito incomodado ontem no TSE”, postou Lula. “Eu compreendo isso, porque ele não gosta de democracia e ontem foi um ato em defesa do Estado Democrático no Brasil”, postou o candidato à Presidência. Bolsonaro não comentou o evento. A resposta a Lula coube ao filho do presidente, Carlos Bolsonaro. “O candidato da facção vermelha espalha uma mentira a cada post”, publicou. “Com a ajuda do consórcio da imprensa, vão tentando desinformar o brasileiro a cada segundo.”

Cenas e fotos da solenidade foram amplamente explorados pelos dois lados em disputa. Apoiadores do ex-presidente Lula buscaram expor imagens que permitem interpretar suposto desconforto de Bolsonaro e, de outro lado, cordialidade por parte do petista. Uma foto que mostra Lula no centro das atenções das autoridades enquanto cumprimenta governadores foi replicada nas plataformas digitais.

Do lado bolsonarista, a foto oficial que mostra Moraes de toga perfilado ao lado de Lula, Dilma Rousseff e Ricardo Lewandowski foi alvo de comentários irônicos e ataques. Vídeo que exibe um momento de descontração entre Bolsonaro e Moraes, que, sentados à mesa, sorriem e travam um breve diálogo ao pé do ouvido, recebeu uma versão ao gosto dos apoiadores do candidato: Bolsonaro teria contado a Moraes uma piada sobre Lula.

Outros participantes do evento buscaram capitalizar politicamente com a ocasião ou reforçar sua posição pública sobre os temas em debate: o reforço à eficiência do sistema eletrônico de votação e à autonomia das instituições. O ex-presidente Michel Temer, que compareceu e se sentou na primeira fila, celebrou o que chamou de “festa da democracia”. “Um evento com espírito republicano, com todos os poderes do Estado representados. Inspirado no dispositivo da harmonia”, publicou o emedebista.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas