Novo Coronavírus

Christina Lemos Prefeitos cobram ministério por redução de leitos de UTI

Prefeitos cobram ministério por redução de leitos de UTI

Em ofício enviado a Pazuello, Frente Nacional dos Prefeitos diz que corte poderá causar mortes por falta de assistência

UTI dedicada a pacientes com covid-19 no Instituto Emílio Ribas, em São Paulo

UTI dedicada a pacientes com covid-19 no Instituto Emílio Ribas, em São Paulo

SUAMY BEYDOUN - 08.12.2020/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

A Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) enviou ofício ao Ministério da Saúde nesta sexta-feira (5) contestando a decisão de reduzir pela metade, em fevereiro, o número de leitos de UTI exclusivos para pacientes com covid-19 e pedindo respostas concretas. "Registramos que caso os leitos sejam de fato desabilitados poderemos ter mortes por desassistência", diz o documento.

Desde o começo da pandemia, o governo federal vinha transferindo recursos aos estados para a manutenção de leitos de UTI para tratamento de covid-19. Assinado pelo presidente da FNP, Jonas Donizette, o ofício afirma ainda que a "medida ocasionará uma situação inimaginável de agravamento no atendimento aos pacientes que demandam este tipo de leito, pois não há recursos disponíveis nos municípios para sustentar essa despesa".

A FNP reúne as 412 cidades com mais de 80 mil habitantes, o que representa todas as capitais, 61% da população e 74% do PIB do país.

Últimas