Christina Lemos PSL e Democratas se unem em nota de repúdio às críticas de Bolsonaro

PSL e Democratas se unem em nota de repúdio às críticas de Bolsonaro

Em inédita manifestação oficial conjunta, partidos dizem que presidente ameçou pilares da democracia no 7 de setembro

Jair Bolsonaro em carro de som durante ato de 7 de setembro na Avenida Paulista

Jair Bolsonaro em carro de som durante ato de 7 de setembro na Avenida Paulista

Paulo LopesAFP - 07.09.2021

Os partidos PSL e Democratas assinaram pela primeira vez uma nota conjunta na noite desta terça-feira (7) para afirmar repúdio aos discursos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nos atos de 7 de setembro em Brasília e em São Paulo. As legendas afirmam que Bolsonaro insurgiu contra as instituições STF e TSE.

Vale destacar que o PSL é o partido pelo qual Bolsonaro foi eleito em 2018 e é uma das maiores no Congresso Nacional. O PSL só elegeu a numerosa bancada atual na esteira da eleição do próprio Bolsonaro.

A possível fusão do PSL com o Democratas marca o afastamento definitivo entre cúpula dos Democratas e o Planalto.

"O PSL e o Democratas entendem que a liberdade é o principal instrumento democrático e não pode ser usada para fins de discórdia, disseminação de ódio, nem ameaças aos pilares da própria Democracia.

Por isso, repudiamos com veemência o discurso do senhor presidente da República ao insurgir-se contra as instituições de nosso país.

Hoje se torna imperativo darmos um basta nas tensões políticas, nos ódios, conflitos e desentendimentos que colocam em xeque a Democracia brasileira e nos impedem de darmos respostas efetivas aos milhões de pais e mães de família angustiados com a inflação dos alimentos, da energia, do gás de cozinha, com o desemprego e a inconstância da renda.

Não existe independência onde ao cidadão não se garantem as condições para uma vida digna. O Brasil real pede respostas enérgicas e imediatas.

Coloquemos as mãos à obra."

Últimas