STF

Christina Lemos Recondução de Aras pavimenta escolha de Mendonça ao STF

Recondução de Aras pavimenta escolha de Mendonça ao STF

Bolsonaro indicou Aras novamente para a PGR

Bolsonaro indicou Aras novamente para a PGR

Adriano Machado/Reuters-02/10/2020

Indicação de Bolsonaro agrada aliados estratégicos no Senado, como Davi Alcolumbre (DEM/AP), e mantém rede de proteção que blindou governo na primeira fase do mandato

Com a indicação de Augusto Aras para novo período como chefe do Ministério Público, o presidente Bolsonaro move mais uma peça para manter a rede de proteção institucional que lhe garantiu alguma estabilidade na primeira fase do mandato presidencial. O nome do atual procurador geral não constava da lista tríplice, à qual Bolsonaro ignora pela segunda vez. A escolha também foi recebida como forma de agregar apoio entre os senadores à outra escolha estratégica, a de André Mendonça, para o STF.

Aras enfrentará nova sabatina no Senado, antes de ser reconduzido ao cargo, num cenário político mais desfavorável do que da primeira indicação. O governo Bolsonaro enfrenta desgaste de sua imagem na Casa que conduz a CPI da Pandemia. O presidente não poupou ataques públicos aos trabalhos da comissão. Além disso, para senadores da ala independente, a atuação de Aras deixou claro seu atrelamento ao Planalto. 

A escolha, no entanto, agrega nomes que não estavam contemplados com a indicação do advogado geral da União, André Mendonça,  para a vaga de Marco Aurélio Mello no STF. O nome nunca foi da preferência, por exemplo, do senador Davi Alcolumbre, aliado histórico do Planalto e atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça, colegiado que sabatinará ambos os indicados.

Últimas