Sem controlar covid-19, Brasil será segundo no mundo em uma semana

País tem 70.433 novos infectados em sete dias. Mesmo sem aceleração da epidemia, superará os demais, ficando atrás apenas dos Estados Unidos

Brasil chegou a 233.142 casos da doença neste sábado

Brasil chegou a 233.142 casos da doença neste sábado

Alba Vigaray / EFE - EPA - 14.5.2020

A décima-nona semana epidemiológica levou o Brasil a superar quatro dos países mais afetados pela epidemia de coronavírus no mundo: Alemanha, França, Itália e Espanha. Com 233.142 casos confirmados, o país ocupa agora a quarta posição no mundo em número de infectados, superado apenas por Estados Unidos, Reino Unido e Rússia. Mesmo não ocorrendo a esperada aceleração no contágio, mantido o ritmo dos últimos sete dias, na semana que vem o Brasil será o segundo do mundo em casos confirmados, superado apenas pelos Estados Unidos, que contam hoje com 1.464.057 infectados.

Até o momento, a evolução da covid-19 no Brasil segue à risca as projeções feitas pela área técnica do Ministério da Saúde na gestão de Henrique Mandetta, ainda no final de fevereiro e reiteradas recentemente pelo Secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira. Segundo o epidemiologista, o pico dos casos de coronavírus no Brasil deve ocorrer entre a 21ª e a 32ª semanas epidemiológicas.

Confirmada esta estimativa, o pior momento da epidemia no Brasil ocorrerá nos meses de junho de julho. O início do recuo no contágio, o chamado “platô”, deve ocorrer nas primeiras semanas de agosto - o que projeta o final da emergência em saúde para os meses de setembro e outubro.