Christina Lemos "Tomar as duas doses é indispensável", diz presidente do CONASS sobre vacina

"Tomar as duas doses é indispensável", diz presidente do CONASS sobre vacina

Carlos Eduardo Oliveira, presidente do Conass

Carlos Eduardo Oliveira, presidente do Conass

Divulgação

Segundo o Ministério da Saúde, 1,5 milhão de pessoas estão com a segunda dose da vacina atrasada. A informação foi divulgada pelo ministro Marcelo Queiroga nesta terça (13) e haverá um esforço do governo para que haja o complemento da imunização e isso será feito também com a ajuda do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). Carlos Eduardo Oliveira, presidente da entidade conversou com o blog sobre o assunto.

"O SUS já tem uma história de vacinar pessoas com uma, duas ou três doses. Historicamente a gente tem dificuldades. Em geral, da primeira para a segunda dose a gente tem uma perda, da segunda para a terceira dose, a gente tem um perda maior ainda. Isso se dá por inúmeros fatores", diz Oliveira.

Segundo ele, muita gente simplesmente se esquece do fato de que precisa tomar a segunda dose. Ainda há também a questão de que pode haver alguma reação à dose: "Isso é normal. A pessoa eventualmente vomitar, ter dor de cabeça, ter febre, isso é natural. É a reação do seu organismo à vacina. Longe de significar algum problema, na verdade significa que seu corpo está reagindo à vacinação".

Para o presidente do CONASS, para que aconteça de fato a segunda dose, é preciso um esforço para deixar claro que as pessoas precisam voltar para finalizar o processo de imunização: "De fato, a gente precisa de uma comunicação melhor, mais eficiente, porque as pessoas só ficam imunizadas após a segunda dose da vacina. Se você tomou só uma dose, não adianta. Por isso é muito importante você tomar as duas doses da vacina no momento adequado", diz.

Oliveira acredita que o Ministério da Saúde se comunica mal e tem sido assim "durante toda a pandemia". Para ele, é preciso ser absolutamente claro sobre a segunda dose: "É essencial que o ministério diga com todas as letras: tomar as duas doses é indispensável para a sua segurança. Se você tomou apenas uma dose da vacina e acredita que já está imunizado, seguro, você está criando uma falsa expectativa. Apenas depois das duas doses da vacina você pode se garantir imunizado e seguro".

Oliveira reforça algo que todo mundo já deveria saber, que é o fato de que a vacina só tem seu ciclo completo com as duas doses. "Após tomar a primeira dose e a segunda dose e esperar a reação do seu organismo com a produção dos anticorpos, após as doses completas é que você garante a imunização e aí você vai estar protegido contra a Covid-19. É ilusório você achar que por ter tomado apenas uma dose da vacina você já está protegido. Você não está protegido.

O presidente do CONASS esclarece que quem tomou a primeira dose da vacina, tem a segunda dose garantida tanto pelo Ministério da Saúde quanto pelas secretarias de saúde.

Últimas