Coluna do Fraga Eunício nega "pauta bomba" e diz que aumentos não furam teto

Eunício nega "pauta bomba" e diz que aumentos não furam teto

Presidente do Senado diz que Judiciário terá que respeitar o teto

Eunício nega "pauta bomba" e diz que aumentos não furam teto

Eunício nega "pauta bomba" e diz que aumentos não furam teto

Eunício nega "pauta bomba" e diz que aumentos não furam teto

Agência Senado

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE) negou nesta quinta-feira (8) que o aumento dos salários dos ministros do STF aprovado no Senado seja uma "pauta-bomba" do Senado para o governo eleito Jair Bolsonaro. A aprovação do projeto terá efeito cascata, com rombo estimado de R$ 4 bilhões para União e Estados. A votação desagradou a equipe econômica do presidente eleito, que tem como maior meta o ajuste fiscal do País. 

— Fui autor da emenda constitucional 95 que aprovou o teto de gastos. Todos temos hoje um limite de teto de gastos, eu além de presidente dessa Casa sou gestor. Todos nós temos um teto. Digamos que a Justiça tenha um teto hipoteticamente de 1 bi, 2 bi ou 5 bi de reais para a sua gestão. Aqui permitimos que gestores utilizem seus tetos fazendo remanejamentos de acordo com o interesse do gestor. O Judiciário para pagar o aumento terá de cortar gastos. Há aumento de rubrica, mas tudo dentro do teto. Não houve acréscimo de despesa do Judiciário porque ele tem um teto.

O presidente frisou ainda que o projeto já havia sido aprovado na Câmara e foi encaminhado pelo Judiciário. Ele concluiu dizendo que não irá "jogar contra" o atual governo. 

— Eu nunca escondi que não votei no Bolsonaro no primeiro e segundo turno, mas a partir do momento que ele foi escolhido pela maioria dos brasileiros ele passou a ser o meu presidente, porque sou brasileiro, sou democrata. 

    Access log