Coluna do Fraga Jovem engenheiro do DF pode ser ministro do Meio Ambiente

Jovem engenheiro do DF pode ser ministro do Meio Ambiente

Presidente eleito Bolsonaro adiou o anúncio do nome após ter reunião com o secretário de Meio Ambiente do DF, Felipe Ferreira, engenheiro ambiental

Jovem engenheiro do DF pode ser ministro do Meio Ambiente de Bolsonaro

Jovem engenheiro do DF pode ser ministro do Meio Ambiente

Jovem engenheiro do DF pode ser ministro do Meio Ambiente

Fábio Motta/Estadão Conteúdo - 08.12.2018

Falta apenas um nome para que o primeiro escalão do governo Bolsonaro esteja completo. Dos 22 ministérios do presidente eleito, o de Meio Ambiente é o único que ainda está vago. A expectativa era que o anúncio ocorresse ainda nesta semana, mas a análise de um novo nome fez com que o presidente adiasse a decisão. 

O novo cotado é Felipe Augusto Fernandes Ferreira, atual secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal. Na última terça-feira, Ferreira esteve com Bolsonaro na Granja do Torto, onde fez uma apresentação do seu trabalho como gestor público e da sua proposta em eventual gestão à frente da pasta. 

Como pontos positivos, Ferreira tem o fato de ser filho de um general do Exército, de ter estudado em colégio militar e de ser engenheiro civil e ambiental pela Universidade de Brasília. Além disso ele tem uma gestão bem avaliada no DF e é conhecido por trazer resoluções rápidas a problemas complexos. Mas pesam contra ele o fato de ainda ter pouca idade, 34 anos, e relativa pouca experiência na área pública, quatro anos.

O advogado paulista Ricardo Salles ainda é o mais cotado para a pasta. Filiado ao Partido Novo, fundador do movimento Endireita Brasil, ele foi secretário de Meio Ambiente do Estado de São Paulo na gestão Geraldo Alckmin. Um ponto negativo, no entanto, e que está sendo avaliado pelo governo de transição, é o fato de ser réu em uma ação na área ambiental no Estado de São Paulo. 

Apesar de o presidente Bolsonaro gostar do nome de Salles, ficou muito bem impressionado com Ferreira. O anúncio do nome deve ser feito na próxima semana. Outros nomes já foram analisados, como do engenheiro agrônomo Xico Graziano. 

Bolsonaro cogitou fundir as pastas de Meio Ambiente e Agricultura, mas a fusão foi alvo de críticas. A visão do presidente é que a gestão do Meio Ambiente deve ser feita aliada ao crescimento econômico e ao ministério da Agricultura. 

    Access log