Coluna do Fraga Ordem de votação nas urnas pode dar um nó na cabeça do eleitor

Ordem de votação nas urnas pode dar um nó na cabeça do eleitor

Deputado federal vem antes de estadual ou distrital, depois são dois senadores, governador e presidente

Ordem de votação nas urnas pode dar um nó na cabeça do eleitor

Ordem de votação nas urnas pode dar um nó na cabeça do eleitor

Ordem de votação nas urnas pode dar um nó na cabeça do eleitor

Nelson Jr./ASICS/TSE

Ao que indicam as pesquisas de opinião, que apontam extremo desinteresse do eleitor brasileiro pelas Eleições 2018, sem uma cola muito bem feita, o eleitor pode se atrapalhar quando estiver em frente da urna eletrônica. A começar pela ordem de votação. 

De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o eleitor fará a sua escolha na urna eletrônica, obedecendo à seguinte ordem: deputado federal, deputado estadual ou distrital, senador primeira vaga, senador segunda vaga, governador e presidente da República. 

Terá, portanto, que digitar 19 números e seis vezes a tecla confirma. Isso se não errar nada. Os números que identificam os deputados federais têm quatro dígitos. Depois são cinco dígitos para deputados estaduais ou distritais. Três para o primeiro senador. Três para o segundo senador. Dois para governador e dois para presidente. 

Além disso, se repetir o número do senador no segundo voto, este será anulado, como a Coluna antecipou aqui

De acordo com a mais recente pesquisa CNI/Ibope, 59% dos eleitores  brasileiros disseram que não sabem em quem votar ou anularão seus votos nas Eleições 2018. A última eleição no Tocantins, em junho, nos adianta o potencial cenário em votações. No Estado, a soma de votos brancos, nulos e abstenções no segundo turno da eleição suplementar foi maior do que dos votantes. 51,83% dos eleitores não escolheram nenhum dos candidatos. Esse desinteresse, somado às duas dezenas de números para se digitar, podem aumentar os votos que serão anulados em 2018. 

    Access log