Coluna do Fraga Presidente da CCJ quer relator com perfil técnico para Previdência

Presidente da CCJ quer relator com perfil técnico para Previdência

Felipe Francischini (PSL-PR) diz que irá conversar com partidos para encontrar o nome mais técnico para analisar admissibilidade da PEC 

Presidente da CCJ quer relator com perfil técnico para Previdência

Presidente da CCJ quer relator com perfil técnico para Previdência

Presidente da CCJ quer relator com perfil técnico para Previdência

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), deputado Felipe Francischini (PSL-PR) disse nesta quinta-feira (14) que procura um relator com perfil técnico, e não político, para analisar a PEC da reforma da Previdência (PEC 6/19). O primeiro passo da tramitação da reforma da Previdência no Congresso Nacional é a análise da sua admissibilidade pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. 

— Tem que ser um relator com perfil bastante técnico com muito conhecimento jurídico. Sempre falo que não necessariamente alguém com experiência aqui na casa. Porque como a CCJ analisa a questão da constitucionalidade, o importante é o perfil técnico já que o mérito será discutido na Comissão Especial. 

Eleito ontem (13) presidente da comissão, o jovem deputado, filho de um dos coordenadores de campanha do presidente Jair Bolsonaro, Felipe Francischini disse ainda não ter preferência por partido para o posto. 

— Estou conversando com todos os membros da comissão, vou levar esses nomes para o governo, para o presidente Rodrigo Maia e para os líderes partidários. 

Francischini disse ainda não ver problema na tramitação da reforma da Previdência dos trabalhadores brasileiros acontecer ao mesmo tempo da reforma dos militares. 

— A reforma dos militares vai direto para a comissão especial e as duas andarão paralelamente com ritos distintos. 

Para a reforma da Previdência dos trabalhadores, o deputado estima que a tramitação na CCJ pode ir além das cinco sessões previstas com até duas sessões a mais. Mas ele estima o fim da votação na comissão até o fim do mês. O parlamentar acredita ter maioria na comissão constituída ontem. Na semana que vem, diz acreditar ter uma noção exata de quantos votos o governo tem para aprovar a constitucionalidade da proposta.