Minha aposentadoria

Reforma: oposição comemora e situação joga a toalha 

As declarações de Eunício Oliveira demonstram o tom derrotista da situação

As declarações de Eunício Oliveira demonstram o tom derrotista da situação

Ueslei Marcelino/Reuters - 05.10.2017

As declarações do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), sobre a reforma da Previdência deram a impressão de que os aliados de Temer já estão jogando a toalha e dando o jogo como perdido. Eunício disse que a votação no Senado pode ficar para novembro e que não era possível analisar a proposta de forma apressada. 

Todos sabem que deixar para depois das eleições, em novembro, quando o País terá um novo presidente eleito, é a mesma coisa que deixar para 2019. Além disso, governistas sempre falaram que o Senado garantiria a aprovação da reforma, desde que o texto fosse aprovado na Câmara. Romero Jucá, líder do governo, chegou a dizer que a reforma passava no Senado: 'aqui passa', disse em novembro. 

Já os oposicionistas comemoram. Paulo Pimenta, líder do PT, disse hoje à produtora Taciana Collet, da Record TV:

— o governo hoje não tem votos. Tem menos votos do que tinha em dezembro. 460 deputados ontem na Casa e não teve sessão . A semana foi 1 a 0 pra nós. Vamos fazer obstrução pra valer, de maneira plena. Até enterrar de maneira definitiva, não daremos trégua. 

    Access log