A INVEJA

Reprodução

Aprendemos desde novos sobre a inveja e o quão ruim ela é, entretanto com o passar dos tempos, os avanços da tecnologia e as exposições que vieram com a evolução, a inveja tem se tornado muito mais do que apenas o cobiçar algo de alguém.

Inicialmente, nos foi ensinado que a inveja é desejar algo do outro, ou não gostar de ver a felicidade do outro. Uma simples palavra criou tanta profundidade que paralisa as pessoas. Esse sentimento de invejar, sugar mentalmente outrem, comparando a vida dele com a do outro, construindo a sua autoestima na impotência, caindo no esquecimento as qualidades e os aspectos da sua personalidade que o faz único. Todo sentimento de inveja vai corroendo as boas memórias das pequenas e grandes conquistas, transformando os elogios em reclamações e angustia, sempre procurando algo ou alguém para se espelhar. É aquela famosa frase "A grama do vizinho é sempre mais verde que a nossa", a comparação é tanta, o foco no outro é tão grande que e torna cego e vulnerável, ninguém pode falar nada que toque na ferida dele, fazer isso é pedir uma tempestade em um copo d'água. É engraçado, normalmente o invejoso faz de tudo para que o foco fique em você, não nas suas qualidades, mas sim nos seus defeitos. Na roda de amigos ele é o que faz aquele comentário que te deixa desconfortável, que deixa aquele climão no ambiente ou te faz ser o alvo de chacotas do grupo, afinal ele precisa ser forte em cima da sua fraqueza.

Imagine que:

Mariazinha começa em um novo trabalho, ela está feliz, de repente uma fulana que aparentou ser muito simpática e a segue nas redes sociais. Depois de um tempo começa a usar roupas parecidas, pergunta onde comprou o sapato, a roupa e começa a ser cada vez mais invasiva. Após a mudança externa da fulana, ela começa a soltar boatos entre os funcionários sobre a Mariazinha, interrompe as conversas em grupos e sempre coloca barreiras para ela não socializar.

Outra situação:

Joãozinho comprou um carro e foi mostrar ao seu amigo, ele vê o carro e já começa a falar "nossa, mas esse carro é muito antigo, vai pifar o motor logo", só se desfaz da conquista do Joãozinho. O do amigo sempre será melhor do que o dele, deixando ele frustrado e desgostoso com o que conseguiu.

Ambas as histórias representam algumas atitudes dos invejosos, é sempre uma competição, um motivo para minimizar suas vitórias e falar mal das suas escolhas, prejudicam a sua imagem na frente dos colegas e se você cometer

um deslize é a hora que atacam a sua ferida com o "eu avisei", ao invés de te animar só te mostram visões pessimistas das situações.

A inveja não prejudica apenas os que sofrem com esses olhares e palavras, o pior sofrimento é ser o invejoso. Não conseguir ser feliz com o que tem, não atingir o sucesso por ser bom e fazer o bem, ser intocável, mas não respeitado. É uma vida triste, essa pessoa pode ter tudo, mas ela queria ser o outro.

Agora entramos na questão de como a internet aprofundou esse sentimento tão ruim.

Não bastava olhar de longe, a inveja tem se transformado em algo mais agressivo. Com as redes sociais é muito mais fácil se conectar as pessoas, conseguir acessar informações e fazer comentários maldosos. A procura por curtidas e constante aprovação transforma indivíduos felizes em desesperados por atenção, buscando em tudo e todos o seu valor. A exposição não é brincadeira, tem seu lado bom, mas há invejosos em todo lugar e infelizmente eles se fortaleceram na Internet. Mais do que querer o que você tem é querer ser você se vestir, falar, copiar a sua identidade.

O que o invejoso quer afinal de contas?

O invejoso quer ser invejado "olha o que eu tenho, olha o que eu sou", sempre diminuindo os que estão em volta para se sentir superior, gerando uma avalanche de gente insegura, para ele continuar sendo o maioral.

De modo infeliz a inveja sufoca a sua vítima, destrói a forma de se enxergar, para então ocupar o seu lugar. Pessoas que não se conhecem, não falam, não avançam, não conseguem mostrar as suas qualidades e nem desenvolvê-las. Não conseguem dizer basta quando são maltratados. O invejoso quer que você não se conheça, afinal desta forma você se fortalece e as palavras de ódio dele não fazem mais efeito. Ele precisa que você não tenha voz para continuar se sobressaindo.

Chegamos a um ponto onde se eu não tenho o outro também não pode ter, e viver dessa forma é não se dar a chance de melhorar e conquistar coisas novas com o seu próprio esforço.

"Bendito aquele que aprende a admirar, mas não invejar, seguir, mas não imitar, elogiar, mas não bajular, liderar, mas não manipular." William Arthur Word.

Uma identidade não se constrói do dia para a noite, o autoconhecimento é diário, dolorido e com várias surpresas, por isso é hipnotizante olhar para alguém que sabe quem é. Quando essa autenticidade é desestabilizada, a pessoa fica perdida, tornando-se vulnerável.

"A coisa mais autêntica sobre nós é nossa capacidade de criar, de superar, de suportar, de transformar, de amar e de sermos maiores que o nosso sofrimento." Ben Okri.

Todos nós somos suscetíveis a sermos iguais ao coleguinha invejoso, à diferença está em reconhecer as nossas falhas, transformarmos as dores em superação, amar e deixar ser amado e se dar novas oportunidades para mudanças. Você não precisa se culpar pelo passado, viva o presente, ele quem guiará o seu futuro. Você não precisa ser igual à moça do Instagram, igual o cara popular do Facebook, sua autenticidade é o seu valor. Seja grato pelo o que tem e lembrando que pode sim conquistar coisas maiores e melhores, a linha tênue entre inveja e admiração não deve ser esquecida, tome cuidado.

"A inveja é um sentimento que não deve ser negado, se você sente inveja, aproveite a oportunidade e olhe para dentro de você... Mergulhe no seu interior, observe, aceite e transforme este sentimento em irrigação do seu jardim! Não perca seu tempo sofrendo com o florescimento alheio!" Giovana Barbosa.

Seu coleguinha não é um poço de defeitos, ele só se perdeu na caminhada. A vida é cheia de dificuldades e a inveja nos faz esquecer de quem somos, do que podemos ser e do que conseguimos. Busque em você o motivo da sua inspiração "caraca, em 2012 eu sofri um acidente e estou vivo!" "olha, em 2009 consegui terminar meus estudos!", pequenos detalhes que mostram a nossa força e que não podem ser esquecidas. As redes sociais são para acrescentar conforto e informação no nosso cotidiano então deixe de buscar a perfeição nos perfis e seja mais você.

Últimas