Por que devo tomar uma decisão?

Reprodução

Você já parou para pensar que deixando de se decidir você está tomando uma decisão?
Ficou difícil aí? Vamos raciocinar. Ao invés de você escolher as opções que lhe foram apresentadas  você desvia delas, fazendo isso estará tomando a decisão de não escolher nenhuma das duas. Ou seja, tomou uma decisão da mesma forma, porém desviando de suas responsabilidades. Quantas vezes se esquivou de responsabilidades  por não querer tomar uma decisão?

Todos sabemos que a vida é feita de alternativas que, todos os dias, seja consciente, inconsciente ou impulsivamente nos fazem chegar mais perto ou mais longe de nossos objetivos.

O despertador toca, vou levantar ou faltar no trabalho? Qual roupa colocarei hoje?  Escovar o dente ou lavar o rosto primeiro? Cabelo preso ou solto?

Nosso cotidiano, dia após dia é dessa forma e não podemos evitá-lo.
Às vezes estamos tão ligados no automático que esquecemos que todas as coisas só serão realizadas se nos prontificamos a fazer. Talvez a autodepreciação te leva a acreditar que só optará por problemas, que você só seguirá caminhos com consequências ruins. Nada pode ser previsto, as ações e reações diárias mostram como tudo ao nosso redor é imprevisível, porém quando temos opções sejam elas profissionais ou pessoais, e escolhemos não pensar sobre as próximas ações quando um grande objetivo está em jogo, é perigoso. Se você não pensar, não escolher, como vai atingir suas metas e sonhos? Não podemos continuar evitando nossas próximas ações, elas que nos levarão ao destino que desejamos.
Como não me sabotar?

Precisamos entender que a indecisão tem muito mais prejuízos do que benefícios. Perdemos tempo, porque quando não  decidimos o que fazer, acabamos na verdade não fazendo nada! Imagine que você tem duas opções de tarefas no dia: ir ao mercado fazer as compras do mês ou lavar as roupas que precisam ser lavadas. Se você não decidir o que irá fazer no dia, acabará não fazendo nada, e no final ficará frustrado por não ter sido capaz de realizar o que foi proposto!

Não decidir também nos deixa ansiosos. Ficamos estressados, preocupados, nervosos e agitados. Tudo isso será descontado em nosso corpo.
Tomar uma decisão é importante, mesmo que ela não seja a que deveríamos ter escolhido.
O simples fato de termos escolhido evita problemas e sentimentos ruins.

Mas como decidir e não me arrepender depois?

Mesmo que seja difícil decidir e a insegurança de sua escolha não ter sido a melhor te assombre, não fique pensando na outra opção que você descartou. Isso somente te frustrará e te paralisará, te fazendo perder  o que conquistou da mesma forma que ter escolhido a opção errada. O máximo que você tem a perder é aquilo que você escolheu, mas enquanto não decidir por nenhuma das alternativas, continuará perdendo as oportunidades que viriam. Por isso, quando decidir, seja firme na sua decisão. Isso será bem melhor do que ficar pensando na decisão que poderia ter tomado. Visualize esse exemplo.

Joãozinho tem  um aniversário de um primo para ir, mas no mesmo dia tem de ir em um aniversário de um amigo. Joãozinho então decide ir na comemoração do primo. Se  ele ficasse pensando na hipótese de que deveria ter ido na festa do amigo, certamente não teria aproveitado ao máximo a sua outra escolha e viveria frustrado. Por isso, pense bem na sua escolha e ao decidir, seja firme nela!

Tomar uma decisão nunca vai ser fácil, mas sempre vai ser o melhor a se fazer, ainda que seja uma decisão que não tenha consequências boas no final.

Certa vez, Anthony Robbins disse a seguinte frase: "Tome decisões com frequência. Quanto mais decisões você toma, melhores elas são. Os músculos se fortalecem com o uso, e o mesmo acontece com os seus músculos de tomar decisões. Libere seu poder agora mesmo, tomando alguma decisão que venha adiando. Não vai acreditar na energia e na animação que isso criará em sua vida!". Quanto mais decisões tomamos, mais elas vão se aperfeiçoando e nos tornando aptos a acertar em nossas próximas escolhas.
Você só saberá o que pode acontecer depois que colocar em ação, vivenciar sua preferência. Então não vale a pena ficar pensando “e se”. Observe bem todas as possibilidades e escolha aquela que mais te agrada. Caso não dê certo, não se culpe, os tombos também  acontecem e nos fazem mais fortes.
Adiar não é a melhor opção,  uma hora ou outra você terá que escolher. Deixar para depois não deixará nada mais fácil, então encare e  tome uma atitude. Óbvio, nada pode garantir que você fará o certo, mas se escolher de forma consciente, com certeza, você saberá que fez o seu melhor.

Existem algumas táticas que podem ser usadas para te ajudar a tomar uma decisão. É muito importante você pensar sobre as opções que tem em mãos. Então tire um tempo para si e para a sua mente refletir, pare alguns minutos e reflita sobre as alternativas e pense atentamente sobre cada uma delas. Defina o seu objetivo, sabendo onde quer chegar não pegará atalhos, estará suscetível à escolhas certeiras, que te levarão a alcançar o que almeja. Seja racional, não tenha medo do imprevisível, mas visualize cada oportunidade que poderá ser adquirida. Tenha em sua vida pessoas que busquem, andem com você e te incentivem , assim não ficará desmotivado. Descanse! o estresse não é um aliado na hora de seguir adiante nesses momentos oportunos. Cabeça cheia não trabalha direito, te deixa lento e com dificuldades para fazer uma boa análise racional. Seja sincero com você mesmo, decida o que fará bem a sua mente também, ela é sua principal aliada para tudo em sua vida. Não desista no meio deste processo, a desistência te torturará,  relembrando e te fazendo refém de achismos que não te acrescentarão nada, só te trará desânimo, te fará mais ansioso, indeciso e inseguro. Tudo  isso refletirá na sua produtividade, se tornando um ciclo vicioso que só te puxará cada vez mais fundo para dentro de um buraco. Ser sincero consigo mesmo, se conhecer é o principal ponto para que não fique perdido dentro de si mesmo. Se conheça, descubra quem você é, o que gosta, o que acha certo e será mais fácil de verificar qual o melhor caminho.
Lembre-se que experiências ruins não te fazem ruim, se desprenda do passado. Decisões tomadas precipitadamente também trazem aprendizados. Não fique o tempo todo se martirizando, temos a vida toda para amadurecermos, adquirirmos conhecimento, para que futuramente façamos escolhas certeiras.
Você não precisa vivenciar apenas altos, mas baixos também para que não esqueça das lições aprendidas. Seja paciente consigo mesmo e não tenha medo do que virá pela frente!

Últimas