Guto Ferreira A estranha estória dos homens com "h" minúsculo

A estranha estória dos homens com "h" minúsculo

Virou moda. No Brasil, os machões tem se proliferado. Sejam de esquerda ou de direita, batem no peito e agridem mulheres de todas as formas. Estariam eles escondendo algo?

  • Guto Ferreira | Do R7

O dilema dos machões brasileiros. Ser ou não ser homem de verdade?

O dilema dos machões brasileiros. Ser ou não ser homem de verdade?

pixabay

Outro dia parei para ler o que disse José de Abreu, sobre a inteligente e educadíssima deputada federal Tabata Amaral. O ator, aposentado e frustrado, que vive buscando um palco gratuito, já que ninguém mais paga para assisti-lo, estava descompensado em suas redes sociais. Não que eu tenha me surpreendido. Abreu já se mostra despreparado para a vida em sociedade há tempos. E ok. Talvez a vida dele não tenha seguido o caminho que imaginava. Então, ao que parece, ele resolveu partir para cima, como sempre, como o covarde que é, da deputada federal, Tabata Amaral. Mas já já volto a este assunto.

Interessante ver a proliferação de autointitulados “machos alfa” na sociedade brasileira. Geralmente, quando aparecem, vociferam como se fossem leões indomáveis, seres brutos incontroláveis. Não se enganem mulheres. A psicologia, a história e a vivência já demostraram que este tipo de persona sempre foi covarde, mas encontram seu espaço de tempos em tempos, com agora.

Na companhia de José de Abreu também está Jair Bolsonaro. E vejam só. Olhem que loucura. São de campos político ideológicos opostos, mas compartilham da mesma ignorância no trato ao sexo feminino. Mas como os extremos se aproximam, é fácil identificar o traço do homem com “h” minúsculo nos dois: São covardes. Usam de poder ou de posição social para agredir sem o menor pudor. Geralmente carregam traumas de traição ou de não terem coragem de assumir algo sobre sua sexualidade. Não estou dizendo que é o caso dos dois citados, mas....é bom observar.

Fico pensando que vida triste tem as mulheres que estão no entorno de Bolsonaro e José de Abreu. Pobres coitadas. Sujeitas a piadas escrotas, aceitam a dura realidade de ser o que muitas vezes dizem combater: mulheres submissas. E o pior, submissas a seres inferiores, desprovidos de educação, gentileza, de algo que os possa tornar mais....Homem. Bolsonaro e José de Abreu são o que a sociedade tem de mais podre e pútrido nas duas pontas de pensamento do brasileiro. Na verdade, no caso dos dois, tenho absoluta convicção que, em um debate com a deputada Tabata Amaral, ou outras, que também já foram agredidas, como a repórter Laurene Santos, da TV Vanguarda, Vera Magalhães, do Roda Viva ou a apresentadora Daniela Lima, da CNN, sairiam chorando feito crianças, ou esmurrando tudo pela frente, feito adolescentes emburrados, tamanha a discrepância de conteúdo, educação e controle emocional em favor das mulheres.

No caso específico de José de Abreu, ele acha (tenho certeza disso), acredita mesmo, que está abafando. Só que estamos rindo de sua cara. Rindo da desgraça humana que tomou conta da sua forma física. Geralmente, machos assim são bem menos machos na frente de Homens de verdade. Bem menos. E tremem na frente de mulheres inteligentes, como Tabata e outras milhões que insistem em se levantar contra estes boçais.

Ahhhhhh que bom seria se tivessem ouvido mais Roberto Carlos, Wando, Fabio Junior, Bel Marques, Bon Jovi, Richard Marx, entre outros. Que pena não terem lido Neruda. Que triste ver pessoas velhas e ainda inseguras. Que as novas gerações possam usar José de Abreu e Bolsonaro como modelos do que não ser como Homens.

Meu pai sempre me dizia quando pequeno: “É difícil ser Homem Guto. Mais do que você imagina. Vou te ensinar e você vai aprender que são valores inegociáveis”. Se José de Abreu e Bolsonaro precisarem de um pai para ensiná-los, para que possam aprender valores de verdade, eu empresto o meu.

Se você sofre com algum compostamento abusivo do homem ao seu lado, ligue 180. Sempre.

Por fim, uma frase dita esta semana, pela apresentadora Adriane Galisteu, que entrou definitivamente no dicionário de comportamento que um Homem deve ter, reforço:

“Quando uma mulher diz NÃO, é NÃO. Quando uma mulher alcoolizada diz SIM, é NÃO também.”

Boa semana a todos.

Últimas