O Nazismo, o Bolsonarismo e o fim do Brasil

Estamos prestes a cruzar uma linha sem volta. Um momento na história que nos fará envergonhar todas as próximas gerações. Uma volta às trevas e a sentimentos que destruíram nações. É isso que buscamos para o Brasil?

Bandeira Nazista hasteada junto da bandeira brasileira na sede do governo distrital de Santa Catarina, em 1934

Bandeira Nazista hasteada junto da bandeira brasileira na sede do governo distrital de Santa Catarina, em 1934

instagram imagens.história

Este talvez seja um dos textos mais importantes e difíceis que escreverei neste espaço.

Você, minimamente uma pessoa inteligente, sabe que o nazismo foi uma doutrina ideológica que, de fato, trouxe ao mundo, um período de trevas, de terror, de perseguição a minorias e pessoas consideradas "não puras" e resultou em milhões de assassinatos, por câmaras de gás, fuzilamento e outras tantas formas de tortura, mais conhecidos pelo extermínio de negros e sobretudo judeus, que os cristãos consideram o povo escolhido por Deus.

Pois bem. Chegou o momento de falarmos abertamente sobre isso. Bolsonarismo é exatamente igual ao Nazismo. Ponto final. Espero que você se choque neste momento. Que se revolte (se apoiar o presidente) contra mim inclusive, mas se você é bolsonarista, afirmo, você defende, em boa parte, o que os nazistas também defendiam. E vou explicar. Por isso espero que você leia até o final.

Nestes dois anos e meio de mandato, Bolsonaro (basta dar uma busca no seu celular) já demonstrou desprezar a democracia liberal e o próprio sistema parlamentar. Flerta frequentemente com o fechamento dos poderes e a instalação de uma ditadura. Bolsonaro se considera um nacional-socialista. Isto mesmo. Você não leu errado. Enquanto você acha que ele é cristão de carteirinha, seu filho e seus apoiadores mais próximos recebem e exaltam parcerias e alinhamentos com o partido alemão de extrema direita, mesmo espectro político onde Bolsonaro se encaixa aliás, que defende os ideais nazistas. Lembrando, estamos falando do mesmo nazismo que exterminou milhões do povo de Deus, os judeus. Bolsonaro também prega contra minorias, sejam eles gays, negros, índios....tanto faz.

No governo Bolsonaro, já tivemos desde secretário da cultura  - Roberto Alvim, citando ministro de Hitler (Joseph Goebbels, que foi o ministro da propaganda na Alemanha Nazista) até assessor pessoal do presidente, Felipe Martins, virando réu por fazer, em audiência no Senado Federal, gesto de organizações supremacistas brancas, como a KKK (Ku Klux Klan). Ahhhh, você não sabe o que é KKK? Dá um Google. Te peço. Mas resumo aqui para vocês. É uma organização que existe até hoje, que defende inclusive pregar negros em cruzes de madeira bem altas e queimá-los em praça pública. Aliás, em 2018, David Duke, talvez a face mais famosa do racismo e preconceito nos Estados Unidos e ex líder da Ku Klux Klan, disse em entrevista de rádio sobre Bolsonaro: “Ele soa como nós. É um nacionalista.”

Fato comprovado pela reunião abaixo, com o filho do presidente da república, deputado federal Eduardo Bolsonaro, se reunindo com representante do partido alemão que defende bandeiras nacionalistas baseadas no Nazismo. Parece absurdo? Sim. E é. Deveria ser crime. 

Eduardo Bolsonaro se reune com deputada do partido neonazista alemão, de extrema direita, e reafirma convicções mútuas

Eduardo Bolsonaro se reune com deputada do partido neonazista alemão, de extrema direita, e reafirma convicções mútuas

Twitter deputado eduardo bolsonaro

Tudo isso que citei são FATOS, e você facilmente encontrará todos na internet, nos mecanismos de busca. Mas sabe o que talvez você não tenha entendido? Que esta defesa que Bolsonaro e seus aliados mais próximos fazem é EXATAMENTE A DEFESA QUE OS  NAZISTAS FIZERAM. Não posso afirmar que o presidente em si é um nazista. Nunca o vi com uma bandeira em mãos. Mas o que o movimento que leva seu nome defende, este posso afirmar sim que é uma defesa nacional socialista baseada nos princípios da Alemanha de Hitler.

E isso pode levar nossa sociedade ao colapso. Por isso vamos nos unir e enfrentar o Bolsonarismo. Pelo simples fato de que seja você uma pessoa de bem, talvez cristão, certamente não defende isso que relatei acima. Sabe por quê? Porque se vivêssemos no mundo nazista que eles defendem, você, miscigenado (rico ou pobre), imigrante, de todas as regiões do país, certamente estaria morto em uma câmara de gás ou fuzilado por não ser “puro”. E aqui temos um caso interessante no Brasil: o estado de Santa Catarina.

Nos últimos dois anos, aquele estado admirado por todos, pelas belezas naturais, pelo desenvolvimento tecnológico produtivo, por ter um turismo pujante, passou a chamar a atenção por outro motivo. Nunca se viu tantos casos de apoiadores do NAZISMO mostrarem a cara, saírem da toca com tanta frequência. Em 2019, uma pesquisa da UNICAMP identificou 69 células nazistas no Estado. O que é absolutamente assustador para um estado que representa 3,5% do eleitorado brasileiro. Proporcionalmente é a maior concentração desses grupos em atividade. São 11,8 células neonazistas por milhão de habitantes. Duas das principais células estão em Blumenau e outra no Vale do Itajaí.

Em 2014, o professor de história em Blumenau (veja só a loucura) Wander Pugliesi, foi identificado como dono de uma piscina, na cidade de Pomerode, que tinha no fundo a imagem da suástica. Além de ter dado a seu filho o nome de Adolf (Adolf Hitler), o professor mantinha acervo grande de itens relacionados ao nazismo. Em 2021, um homem foi detido depois de imagens suas balançando uma bandeira nazista na sacada de seu apartamento. Não foi indiciado. E é claro que acredito, de coração, que a maior parte dos catarinenses não faz parte desta corja. Sobretudo os mais jovens, em quem deposito a maior parte da minha esperança.

Tudo isso escrevo para lhe afirmar que onde há espaço, o mal prospera. Onde há espaço para a maldade, o mal prospera. Bolsonarismo e Nazismo são exatamente iguais na concepção ideológica e defesa de pautas. E este assunto é mais sério do que parece. Se estas bandeiras prosperassem no Brasil, simplesmente não haveria Brasil.

Nem mesmo os “alemães” do Sul do país de hoje, seriam reconhecidos como “puros” e uma boa parte seria exterminada. Na verdade, no passado havia uma piada que dizia: “Os alemães que nem a Alemanha reconhece”. Hoje, depois de 2 anos e meio de um país dividido, fraturado enquanto sociedade e estuprado moralmente, afirmo com a mais absoluta certeza: O Bolsonarismo é um mal, um câncer maior do que o petismo. Sim, ambos devem, para mim, ser combatidos e eliminados da política. Mas o Bolsonarismo defende o que há de mais podre na história. E defende abertamente. Defende o que há de mais anti-cristão na história. Defende a imoralidade completa (aqui igual ao petismo) e representa o fim de nossa sociedade. Bolsonarismo e Nazismo são iguais na forma e conteúdo em seu núcleo principal.

Sou conservador e te digo: Se você ama o próximo. Se quer ver um país melhor para você, seus filhos e netos, seja socialmente ou economicamente. Se você é a favor de uma sociedade respeitosa e justa, com bons valores para todos, tenho certeza que escolherá o melhor. E não será Bolsonaro ou Lula. Boa semana e que Deus ou no que você acredita (desde que bom), abençoem o Brasil.

Últimas