Luiz Fara Monteiro Amaro Aviation lança sistema de compensação de carbono nos voos executivos

Amaro Aviation lança sistema de compensação de carbono nos voos executivos

Ação tem parceria com a Black Jaguar Foundation, organização sem fins lucrativos que trabalha com reflorestamento. Plantio será feito na Amazônia

Amaro Aviation: compensação de carbono nos voos executivos

Amaro Aviation: compensação de carbono nos voos executivos

EGOM PR - Divulgação

A Amaro Aviation, empresa especializada em compartilhamento de aeronaves executivas,  quer ser pioneira na aviação executiva brasileira na redução das emissões de carbono. Assim, começa a oferecer uma alternativa de compensação para os passageiros que voarem em uma das aeronaves da empresa. O programa foi montado em parceria com a Black Jaguar Foundation.

Para quem não conhece, a Black Jaguar Foundation é uma organização sem fins lucrativos que trabalha para reflorestar a Floresta Amazônica e a savana do Cerrado no Brasil, plantando árvores nativas em grande escala em colaboração com os proprietários de terras locais. Clientes da Amaro Aviation terão, portanto, a oportunidade de ajudar diretamente na restauração da Amazônia, contribuindo para a neutralidade de carbono.

Só para dar uma ideia, um voo executivo entre São Paulo e Belo Horizonte, a bordo do Pilatus PC 24, resultaria no plantio de 20 árvores na Amazônia.

“Precisamos mudar a forma que cuidamos do planeta, para beneficiar não só os clientes como a comunidade global”, diz Marcos Amaro, CEO e fundador da Amaro Aviation. “A indústria como um todo deve se esforçar para combater as mudanças climáticas e seus impactos. A hora de agir é agora.”

A Amaro Aviation, empresa do ramo de aviação executiva com foco no compartilhamento de aeronaves, foi fundada em 2020. Atualmente, a Amaro Aviation oferece um jato Pilatus PC 24 e um PC-12 NGX para compartilhamento. Para o segundo trimestre do ano que vem, a empresa receberá mais um jato da Pilatus PC 24 e um turboélice Grand Caravan EX, que será utilizado especialmente para os destinos de Angra dos Reis, Paraty, Joinville e Florianópolis.

Para o terceiro trimestre de 2023, a Amaro também espera um King Air 260s da Beechcraft, que será destinado ao segmento do agronegócio brasileiro para atender cidades como Maringá, Blumenau, Anápolis, entre outras.

Já para o ano de 2024, a empresa receberá sua primeira aeronave da Embraer, o Phenom 300, que já foi substancialmente vendido e contribuirá para a consolidação da marca no setor de aviação executiva no Brasil.

Um dos diferenciais da Amaro está em oferecer o compartilhamento de aeronaves a partir da recente mudança da legislação, que tornou as operações mais seguras e mais simples para adquirir e mais tarde para se desfazer do ativo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas