Luiz Fara Monteiro Boeing da Air France sofre grave pane no voo Nova York-Paris; 'O avião não responde', diz piloto

Boeing da Air France sofre grave pane no voo Nova York-Paris; 'O avião não responde', diz piloto

Conversa entre pilotos e o Controle de Tráfego revela tensão na cabine durante a falha de equipamentos; ouça

O perturbador diálogo de rádio entre a cabine de um Boeing 777-300 da Air France e o Controle de Tráfego Aéreo revelou um problema potencialmente sério durante a aproximação da capital francesa no voo AF11, que decolou de Nova York rumo a Paris às 21h16 de segunda-feira (4).

Na gravação de áudio registrada pelo canal Airlive, no YouTube, a partir do minuto 1' 05'' é possível ter noção do alto nível de estresse da tripulação por meio da respiração ofegante dos pilotos.

No minuto 1' 36" o comandante faz a revelação preocupante: "O avião não responde [aos comandos]".

A aeronave de registro F-GSQJ está em operação há 17 anos. O Triplo 7, como é chamado, é considerado ideal para voos de longa distância.

Um porta-voz da Air France confirmou ao DailyMail.com que um "incidente técnico" forçou os pilotos a abortar sua sequência de pouso e realizar uma volta antes de pousar o avião normalmente.

Boeing 777 da Air France semelhante ao da ocorrência em Paris

Boeing 777 da Air France semelhante ao da ocorrência em Paris

PAUL SCHMID - WIKIMEDIA COMMONS

Nas gravações do tráfego de rádio, os alarmes da cabine são ouvidos de modo estridente enquanto o piloto parece lutar com os controles da aeronave, dizendo à torre: 'Eu ligo de volta!'.

Os controladores de tráfego aéreo notaram que o avião estava se desviando para a esquerda. O Boeing 777 — um dos modelos intercontinentais mais admirados por aeronautas e mais usados por companhias aéreas — conseguiu dar a volta a apenas 1.200 pés quando o controle de solo interrompeu todas as decolagens.

"Nós enfrentamos problema com comandos. O avião não responde”, explicou o piloto depois que a crise diminuiu.

Dados da plataforma de rastreamento de voos AirNav RadarBox mostram que o 777 precisou arremeter e dar voltas (orbitar) antes da segunda tentativa de pouso.

Voo AF11 realiza órbitas durante pane nos controles

Voo AF11 realiza órbitas durante pane nos controles

AirNav RadarBox

"Estamos prontos para retomar a aproximação final com orientação por radar. Por favor, nos dê tempo para administrar a situação, então nos guie com vento de popa", continuou o piloto.

O avião conseguiu recuperar a altitude para 4.000 pés e, em seguida, fez um pouso seguro na pista 27R.

O voo 11 da Air France, um Boeing 777, conseguiu pousar com segurança no aeroporto Charles de Gaulle na manhã de terça-feira após os momentos de tensão na cabine.

“A Air France confirma que a tripulação do voo AF011 em 4 de abril de 2022 de Nova York-JFK para Paris-CDG abortou sua sequência de pouso e realizou uma volta devido a um incidente técnico durante a aproximação”, disse um porta-voz da companhia aérea ao DailyMail. com em um comunicado.

“A tripulação dominou a situação e pousou a aeronave normalmente após uma segunda aproximação”, acrescentou o comunicado.

A empresa disse que 'a Air France entende e lamenta o desconforto sentido pelos clientes'.

"A arremetida é definida pelas autoridades, fabricantes de aeronaves e Air France como um procedimento normal", disse o porta-voz.

“As tripulações são treinadas e instruídas regularmente nesses procedimentos, que são usados ​​por todas as companhias aéreas para garantir a segurança dos voos e passageiros, o que é uma necessidade absoluta para a Air France”, acrescentou.

Um porta-voz da Boeing se recusou a comentar quando contatado pelo DailyMail.com, encaminhando as perguntas à Air France.

A fabricante de aviões, com sede em Seattle, enfrentou inúmeras questões sobre segurança nos últimos anos.

No mês passado, a Federal Aviation Administration (FAA) disse que estava finalizando três diretrizes de segurança para alguns aviões Boeing 777 com motores Pratt & Whitney 4000.

As novas diretrizes vêm depois que um 777 da United Airlines falhou logo após a decolagem de Denver em fevereiro de 2021, derramando detritos sobre cidades próximas. Ninguém ficou ferido, e o avião retornou em segurança ao aeroporto.

A FAA disse que as novas diretrizes, que foram propostas em dezembro após três falhas relatadas de pás do ventilador em voo, exigem inspeções e modificações aprimoradas que permitirão que os aviões Boeing 777-200 e -300 equipados com esses motores Pratt & Whitney retomem os voos após serem aterrados por mais de um ano.

A United, que é a única operadora americana de 777 com o motor PW4000 e tem 52 desses aviões, disse que a medida "é um resultado bom e seguro para nossa indústria e clientes da United".

Em dezembro de 2018, outro modelo 777 da TAM experimentou uma pane grave nos comandos elétricos durante um voo entre São Paulo e Londres, obrigando os pilotos a executar um pouso de emergência em Confins — assim como no caso do Air France nesta terça-feira — com o auxílio do controle de tráfego. 

Dados de velocidade e altitude do AF11

Dados de velocidade e altitude do AF11

AirNav RadarBox

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas