Luiz Fara Monteiro Comandante passa mal após decolagem e voo retorna ao aeroporto

Comandante passa mal após decolagem e voo retorna ao aeroporto

Tripulação do Airbus A330-300 precisou interromper a subida. Companhia não detalhou o problema de saúde do piloto

A330 retornou a Bruxelas 50 minutos após a decolagem

A330 retornou a Bruxelas 50 minutos após a decolagem

Vicenzo Pace

Estavam a bordo 285 pessoas.

O Airbus A330-300 da Brussels Airlines, de matrícula OO-SFF, cumpria o voo SN-277 de Bruxelas, na Bélgica, para Acra, em Gana.

A aeronave acabara de decolar na última segunda-feira (29) quando a tripulação interrompeu a subida no nível de voo FL250.

O comandante se sentiu mal repentinamente, e o primeiro oficial precisou assumir o controle do avião.

O Airbus retornou a Bruxelas, onde pousou em segurança cerca de 50 minutos após a partida.

A Brussels Airlines não revelou detalhes. Segundo o site Aviation Herald, a companhia aérea informou apenas que o comandante "adoeceu repentinamente", mas deixou claro que não foram sintomas relacionados à Covid-19.

Um comandante substituto foi escalado para realizar o voo até Acra.

A aeronave decolou novamente cerca de 2 horas após o pouso de volta e chegou a Acra com um atraso de cerca de 3 horas.

A Brussels Airlines tem enfrentado alguns percalços em seus voos para o continente africano.

Em 17 de outubro último, o voo da companhia deixou de cumprir uma escala em Luanda por causa do voo que levava o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, a Angola.

Como é praxe na aviação, aeronaves presidenciais têm prioridade em operações como pouso, decolagem, táxi e aproximação.

O voo seguiu para seu destino final, Kinshasa, na República Democrática do Congo, e os passageiros que deveriam desembarcar na escala em Luanda só chegaram ao destino final quase 26 horas depois. 

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas