Luiz Fara Monteiro Justiça garante viagem de mais um coelho à Europa na cabine

Justiça garante viagem de mais um coelho à Europa na cabine

Pet foi de Porto Alegre a Roma dentro da caixa de transporte, no colo dos tutores 

Picolito: viagem na cabine de Porto Alegre a Roma

Picolito: viagem na cabine de Porto Alegre a Roma

Arquivo pessoal

O casal Lucas Beltrame e Viviane Flores se inscreveram para a seleção de um  PHD em na Itália.

A aprovação confirmou uma preocupação que já rondacva a cabeça dos dois com a possibilidade da mudança de Porto Alegre para Bari, a 450 km de Roma:

Como fariam para transportar Picolito?

A primeira medida foi garantir que o coelhinho de estimação viajasse na cabine.

"Pensamos nos riscos do Pickles ir no porão, que incluem morte por alta temperatura, estresse, jejum prolongado e a falta de amparo em qualquer emergência", explicaram os donos do pet.

Em conversa com empresas especializadas no transporte de animais, foram informados que a viagem de Pickles no porão como carga vica custaria em torno de dez mil reais. 

O casal resolveu acionar um escritório de advocacia com experiência no assunto.

Após a primeira conversa com a Furno Petraglia e Perez Advocacia, decidiram que entrariam com um pedido de liminar judicial para que o coelho tivesse garantido o direito de embarcar na cabine com Viviane, que iria de Porto Alegre à Roma.

Semanas após a entrada do pedido, o juiz negou a liminar.

Houve um pedido de reconsideração.

Desta vez, a liminar foi deferida. Houve festa na família. 

"A realidade da família multiespécie hoje muda a forma como as pessoas se deslocam. Atualmente, levar o pet com segurança é uma prioridade dos tutores", explica o advogado Leandro Petraglia.

A euforia do casal, no entanto, se tranformou em tensão depois que as cenas de violência entre o casal dono de outro coelho e funcionários da KLM viralizaram nas redes sociais. A companhia não permitiu o embarque do pet, mesmo com o casal em posse de decisão judicial.  

"Quando vimos o que havia acontecido, bateu o desespero e ansiedade de que o mesmo pudesse acontecer conosco", disse Viviane.

O coelho Picolito na espera pelo embarque: frutas

O coelho Picolito na espera pelo embarque: frutas

Arquivo pessoal

Apesar do temor, deu certo.

"Foi exatamente o contrário: em Porto Alegre, todos os atendentes da companhia aérea Azul, inclusive tripulantes e balconistas, já sabiam do caso do Pickles e que ele iria naquele Vôo", relata Lucas.

"Nunca vimos o Picolito tão tranquilo", comemora.

Na chegada ao balcão da Air Europa, em Guarulhos, não foi diferente. O casal relata que todos sabiam que o Picolito embarcaria. Toda a documentação estava preparada e todos os funcionários avisados.

"Ao entrarmos no avião pediram foto conosco e todos sempre muito prestativos e simpáticos, [o coelho] indo o trajeto inteiro no nosso colo dentro da caixinha de transporte. E assim chegamos em Madri e fizemos conexão para Roma também com a companhia que, novamente, foi muito atenciosa e prestativa", disse o casal.

"Conseguir a liminar para que o Picolito viajasse na cabine trouxe, além de segurança à viagem dele, uma enorme tranquilidade e possibilitou de conquistarmos nosso sonho da fazer o PhD com toda a família unida", comemora Viviane.

O sucesso da viagem fez os donos do coelho criarem um perfil do pet nas redes sociais: @picklespelomundo

Últimas