Mais dois caças F-39 Gripen são entregues à FAB

Unidades chegaram ao porto de Navegantes (SC), no último domingo (25), e, após passarem por procedimentos específicos, seguiram para Gavião Peixoto (SP)

F-39 Gripen: mais duas unidades chegam ao porto de Navegantes (SC)

F-39 Gripen: mais duas unidades chegam ao porto de Navegantes (SC)

Tenente Kelly / CECOMSAER

A Força Aérea Brasileira (FAB) deu mais um passo rumo ao objetivo de ampliar a capacidade de defesa e garantia da soberania do espaço aéreo do País e de suas fronteiras. No dia 25/09, desembarcaram no Brasil mais duas aeronaves F-39 Gripen. Elas se somam a outros dois caças de produção em série já recebidos no mês de abril.

O FAB 4103 e o FAB 4104 chegaram ao porto de Navegantes (SC) em um navio proveniente da Suécia. Durante a madrugada do dia 26/09 foram conduzidos ao aeroporto da cidade, em uma operação que envolveu dezenas de militares da FAB, além da Polícia Militar de Santa Catarina, Guarda Municipal de Navegantes e Corpo de Bombeiros de Santa Catarina. A missão ainda contou com a participação da Polícia Civil de Santa Catarina, Prefeitura Municipal de Navegantes, Fundação Municipal de Vigilância e Trânsito e Receita Federal.

Finalizado o deslocamento, as aeronaves passaram por uma série de procedimentos necessários para que pudessem decolar em direção ao Centro de Ensaios em Voo do Gripen (Gripen Flight and Test Centre - GFTC), na planta da Embraer, em Gavião Peixoto (SP). Os trabalhos incluíram a instalação de assento ejetável e de kit sobrevivência, abastecimento e preparo de acionamento em solo.

Em Gavião Peixoto, pilotos de prova da FAB, da Embraer e da Saab executam ensaios em voo até que as aeronaves estejam prontas para receber o certificado militar. O documento é uma espécie de licença inicial de operação. Finalizada esta fase, os caças serão transferidos para a Base Aérea de Anápolis, onde passam pelas etapas finais de entrega e início da operação pelo Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA).

De acordo com o coordenador da operação, Coronel Aviador Leandro Barbosa Ferreira Pinto, é motivo de orgulho poder acompanhar a chegada, em solo brasileiro, de mais duas aeronaves Gripen. "O vetor representa um marco tecnológico para o aumento da capacidade operacional da Força Aérea Brasileira e para o desenvolvimento da indústria nacional de defesa", enfatizou.

O Gripen é reconhecido pela eficiência, baixo custo de operação, elevada disponibilidade e capacidade tecnológica avançada. O caça é utilizado por diferentes Forças Aéreas em todo o mundo como vetor responsável pela soberania e proteção dessas nações.

No Brasil, a entrada em serviço significa um importante salto qualitativo e tecnológico, sendo alguns dos recursos embarcados inéditos para a FAB. A Força Aérea Brasileira é pioneira na operação da versão de dois assentos, o Gripen F, desenvolvido conjuntamente pelo Brasil e pela Suécia.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas