Luiz Fara Monteiro Passageiro diz ter sido abusado sexualmente por outro homem a bordo

Passageiro diz ter sido abusado sexualmente por outro homem a bordo

Suposto agressor foi detido e interrogado por policiais. Caso será julgado em Tribunal Federal nos EUA.

Avião envolvido na ocorrência pousou no aeroporto Internacional de Denver

Avião envolvido na ocorrência pousou no aeroporto Internacional de Denver

Wade Eck

Os casos de discussões e até mesmo agressões entre passageiros e tripulantes registraram uma escalada alarmante, especialmente durante a pandemia. 

O blog noticiou recentemente que só nos Estados Unidos, o FAA, órgao de controle da aviação americana emitiu mais de US$ 1 milhão em multas a passageiros que infringiram normas aeronáuticas e de segurança em aeroportos .

Mas uma ocorrência especialmente noticiada pelo The Denver Post chamou ainda mais a atenção por um provável ineditismo na história da aviação comercial. 

Um passageiro teria abusado sexualmente de outro homem em um vôo de Sacramento para o Aeroporto Internacional de Denver em 25 de outubro, de acordo com um depoimento apresentado numa Corte Federal esta semana.

Robert Glasper III é acusado de três crimes federais: contato sexual sem permissão dentro da jurisdição especial da aeronave; atos lascivos, indecentes e obscenos dentro da jurisdição especial da aeronave; e investida inapropriada dentro de jurisdições especiais de aeronaves.

De acordo com os depoimentos da vítima e das testemunhas, Glasper tocou repetidamente em um passageiro do sexo masculino sentado ao lado dele e se masturbou no voo.

A vítima relatou que Glasper parecia estar "sob influência" de alguma substância ao embarcar no avião e disse que Glasper "parecia perdido" enquanto olhava pela janela e ao redor, de acordo com o depoimento.

"Depois que as portas do avião se fecharam, a vítima tentou colocar o cinto de segurança, mas percebeu que Glasper estava sentado nele. A vítima disse a ele 'Acho que você pode estar sentado na minha fivela'. A vítima virou-se parcialmente para liberar o cinto e permitir que o acusado alcançasse o cinto. Nesse momento, Glasper estendeu a mão e agarrou o lado esquerdo das nádegas da vítima, dando um aperto ", diz a declaração oficial recebida pelo tribunal.

O autor da denúncia disse relutar em chamar a atenção para a situação, segundo o depoimento.

Glasper supostamente continuou a tocar na perna da vítima, aplicando uma leve pressão com o dedo enquanto fazia um "movimento de concha" com a mão, diz a declaração. A vítima acusou Glasper de tentar segurar sua mão repetidamente "porque a vítima manteve ambas as mãos firmemente no colo, Glasper só conseguiu colocar a mão em cima das mãos da Vítima. Os contatos na perna da Vítima e as mãos durariam desde entre alguns segundos a alguns minutos".

O ocorrência foi no mesmo aeroporto onde na última semana uma aeronave da American Airlines fez um pouso não programado após uma comissária ter sido agredida por um homem e ter o nariz quebrado. O voo ia de Nova Iorque (JFK) para Santa Ana, na Califórnia.

A vítima disse às autoridades que Glasper pediu repetidamente para trocar lugares com ele. O autor da denúncia relatou acreditar que foi uma tentativa de Glasper de se aproximar da passageira sentada em seu corredor, diz o depoimento.

Em um ponto, Glasper supostamente foi ao banheiro e voltou enquanto continuava suas tentativas de segurar a mão da vítima e tocar sua perna, de acordo com o depoimento.

A vítima disse que Glasper começou a se masturbar enquanto se expunha. O depoimento afirma que a vítima se lembrou de Glasper dizendo, "olhe para isto" e também perguntou se a vítima o "masturbaria".

Supostamente, Glasper enxugou as mãos e logo depois, a vítima contatou o comissário de bordo, sendo posteriormente transferido para um assento mais a frente da aeronave.

O avião pousou no Aeroporto Internacional de Denver pouco depois das 20h30 de 25 de outubro e Glasper foi abordado e interrogado por agentes da polícia.

Últimas