Brasil Conservador: chegou a hora de assumir o que somos

Não deve haver vergonha na defesa responsável da família, dos valores, da fé e da sociedade calcada na orientação judaico-cristã

Este é o meu primeiro texto como parte do time do R7. Então, sejam bem vindos. Neste espaço vocês poderão conhecer um pouco mais sobre mim e o que eu penso sobre conservadorismo, mercado, política e tecnologia. A ideia é que o leitor do R7 possa aprender um pouco mais sobre estes assuntos, ser provocado, evoluir para um conhecimento que muitas vezes é debatido de forma rasa no país e via de regra nas redes sociais e aplicativos de mensagens.

E o primeiro texto não poderia ser outro que não sobre "o tal" do CONSERVADORISMO. Sim, neste último ano provavelmente você deve ter ouvido muito esta palavra. Muita gente se identificando como conservador (mesmo não sendo) e muita gente criticando também (mesmo sem saber o que significa). Mas e aí? Você sabe o que é o conservadorismo? Quais são as características do comportamento de um conservador? O que ele defende? Ele é bom ou ruim para o país? E para a sociedade? Vamos lá.

Primeira coisa que precisa ficar clara: Conservadores de verdade não são violentos, agressivos ou preconceituosos. Não compactuam com racismo ou homofobia. Não são radicais nem populistas. Conservadores são prudentes, observadores, buscam ouvir antes de criticar. São céticos quando ouvem discursos de mudanças muito profundas ou rupturas. Conservadores propõem uma evolução contínua e mudanças responsáveis para a sociedade, sem prejuízo da base de valores que nos trouxe até aqui.

Conservadores defendem a sociedade, o respeito às tradições (desde que boas para o todo) e às instituições que moldaram a nossa sociedade (sobretudo as religiosas - ainda explicarei o por quê). Defendemos o equilíbrio entre a sabedoria dos nossos antepassados e a visão tecnológica das novas gerações. Somos pessoas que buscam o resultado, o pragmatismo. Lembrei de algo muito importante. Muito mesmo. Conservadores tem uma bússola clara de valores e princípios. Sabem, dentro desta bússola, o que é certo e o que é errado. Não relativizam os erros e mais do que isso. Sabem que se estiverem errados, tem o dever moral de admitir e mudar. 

Ao longo da história, os conservadores fizeram grandes coisas pelos países que defendiam. Princesa Isabel, Nilo Peçanha, Barão de Mauá, Churchill, Rainha Elizabeth, Lincoln...a abolição da escravatura, o apoio ao direito a voto pelas mulheres, temas muito apoiados pelos conservadores ao longo do tempo. 

Sim, é verdade que defendemos a família. Defendemos uma escola moderna e a importância do ensino - aqui cabe uma curiosidade leitor. Muitos acreditam que a primeira experiência de sociedade acontece em casa. Não é verdade. Ela se realiza na escola, local onde temos de conviver com diferentes culturas e pessoas com hábitos distintos dos nossos. Acreditamos na ciência. Defendemos o casamento religioso tradicional sem desrespeitar outros tipos de união no campo cível. Os conservadores defendem uma sociedade vigorosa, onde a maioria tenha a responsabilidade de proteger a minoria. Provavelmente você, inclusive, seja um conservador e nem sabe. As vezes somos pouco compreendidos porque nosso discurso é realista, empírico, baseado em fatos e não em suposições. Por mais que também queiramos um mundo melhor, sabemos que isso só virá com preparo, planejamento e a busca incansável por resultados.

O conservadorismo está longe de ser uma ideologia. Na verdade, ele floresce nas pessoas a medida que elas acumulam experiências e responsabilidades. À medida em que perdem algo que lhes é caro, como um familiar por exemplo. Conservadores valorizam as coisas simples que nos ensinam muito. Por isso, dizemos que o tempo, sempre estará a favor dos conservadores. 

Você sabia que a formação e manutenção da sociedade ocidental é o conservadorismo de base judaico-cristã? Mais cristã do que judáica no nosso caso. Profissões como engenharia, direito e medicina certamente tem grande ligação com as questões do conservadorismo. Não fosse assim, desprezariam as conquistas e ensinamentos do passado. E isso não quer dizer que você precisa ser cristão para ser conservador. Mas certamente seria bom compreender e respeitar esta bonita história. Quer ver um exemplo? Vou te ajudar. De onde você acha que vem a base das leis que dizem que matar alguém é crime? E o conceito necessário de que você deve respeitar teu pai e tua mãe? Vamos mais longe. A importância da família. Aprendemos onde isso? 

Se você pensou: "Na Bíblia, Guto. Lá está escrito não matarás. Não roubarás. Respeitará teu pai e tua mãe", entao você está certo. E por que negar que temos esta formação? Por que progressistas insistem em tentar acabar com valores que foram, são e permanecerão sendo importantes para que a nossa sociedade seja funcional? Não é preciso destruir algo para evoluir uma sociedade. Quem defende isso apenas demonstra sua insegurança em ter um debate competente sobre os diversos temas que escreverei nesta coluna inclusive. Conservadores são o equilíbrio em uma sociedade. Aqueles que defendem as mudanças sim, sem se esquecer que os valores são a verdadeira base de uma sociedade. E estes são inegociáveis. 

Mas Guto, e a parte da tecnologia? Calma, hoje foi só o cartão de visitas. Até o próximo texto.

Últimas