Não jogue fora o recurso mais escasso do mundo: o Tempo

Em um mundo em que você é bombardeado por infinitas referências digitais, a busca por utilizar melhor o Tempo pode ser a chave para uma boa vida 

undefined

undefined

O Segredo - Jovem

Fala galera. Hoje vamos falar sobre algo que você não tem. O Tempo. E digo isso porque ele não é aprisionável. Ao contrário. A cada momento que passa, ele se vai e não volta. De possíveis amigos do Tempo, viramos escravos. E isso tem um motivo. Ao longo dos milênios, o Tempo sempre foi objeto de estudo de diversas civilizações. Análises filosóficas, científicas, textos romantizados ou apocalípticos também fazem parte dos que observam o Tempo. Talvez seja, desde sempre, um dos recursos mais valiosos de que dispomos, porém, nem todos sabem usar. Você com certeza já deve ter ouvido: "Tempo é dinheiro" ou "O Tempo é o senhor da razão" e até mesmo "Eu queria ter mais Tempo". Pois bem.

O Tempo não retroage. Simples assim. Cada vez mais, você tem menos tempo pelo conceito atual. O Tempo nos deixa marcas, lembranças. Determina quantos anos temos ou quanto nos falta (ainda que de forma aproximada). Ele é indomável e geralmente implacável. Quer ver um bom exemplo?

O homem, na sua busca por tudo controlar, para ter o sentimento de dominância, separou o tempo em anos, meses, dias, horas, minutos e segundos. Criamos fórmulas para tentar entendê-lo e aprisioná-lo dentro de uma explicação que pudesse nos satisfazer e que nos permitisse entender (ainda que subjetivamente) sua importância para todas as coisas. Ainda assim, não compreendemos como ele nos escapa entre os dedos. E sequer conseguimos determinar como ele nasceu. Alguns, mais ligados às religiões, dirão que Deus é o Tempo. E sendo assim, ele estava aqui antes, está hoje e estará sempre. Portanto, o Tempo seria, nesta lógica, eterno. De certa forma, esta talvez seja a definição que mais nos conforta, pois nos tira o peso de compreender o tempo e colocamos o tema nas mãos do entendimento divino.

Nos últimos dez anos, a tecnologia invadiu cada vez mais nossas vidas, por meio de aplicativos e redes sociais sobretudo. E como um tapa de realidade na nossa cara, nos disse, em alto e bom som: "Vocês acharam que teriam o controle sobre o bem mais escasso da humanidade? Da mortalidade?" E BOOM. Passamos a ser bombardeados com referências infinitas, a todo o tempo. Foi então que a tecnologia conseguiu desconfigurar e desconstruir a noção que o ser humano tem do Tempo. Com isso, cresceram em campo fértil a ansiedade, o conceito de saudade de coisas que você ainda não viveu e a percepção de que não aproveitamos direito o Tempo que temos a nossa disposição. Mas este é um pensamento errado. Desde muito cedo ouvia do meu pai uma comparação entre o Tempo e um rio de águas calmas. Ele diz até hoje, quando nos encontramos, que: "Filho, o Tempo é a margem e nós somos o rio. Nós e outros passaremos. Mas o Tempo sempre estará lá". Da forma como o entendemos hoje, sempre teremos menos Tempo. Mas não é esta a questão. Simplesmente não sabemos como lidar com ele da melhor forma. A sabedoria dos pais e mães sempre devem ser levadas em consideração. Sempre. 

Nesta semana que se inicia, tente fazer um teste. Vamos ver se dá certo. Ao invés de dizer que está sem tempo, apenas priorize aquilo que de fato importa na sua vida e que lhe trará algum benefício. Ao acordar, veja ou ouça as notícias do dia para ficar bem infoirmado (15 min). Priorize uma conversa com a sua família. Talvez um café da manhã (45 min), um almoço ou um jantar (2h). Coloque na agenda falar ao telefone uma vez ao dia (esqueça a mensagem de whatsapp nesta semana) com um amigo querido ou familiar (15 min). Priorize as principais tarefas que precisam ser entregues no trabalho (6h). Separe um espaço para fazer exercícios, ainda que em casa - abdominais, flexões, polichinelos, agachamentos, corrida leve ou caminhada e levantamento de peso ou alongamentos (45 min). Não se esqueça de ver sua série preferida, mas só um episódio ok? (1h). Ahhhhhhh, lembrei. Tire um tempo para não fazer nada ou fazer algo para você - pode ser uma massagem, dar um cochilo, jogar videogame, passear com os cachorros (1h). Se namorar ou estiver casado (a), faça algo prazeroso com a pessoa que ama - cinema ou teatro por exemplo. Aqui também se encaixam uma conversa olho no olho, um passeio descompromissado de mãos dadas, tomar um sorvete, sentar na grama. Sei lá. Seja criativo (2h). Se não estiver compromissado, use para sair com seus amigos (as). Antes que você brigue comigo, sim, você poderá mexer nas redes sociais. No total use 1h por dia (e estou sendo generoso viu?). 

Claro que não é uma ciência exata, afinal, o Tempo é indomável e implacável como eu disse, mas se conseguir seguir a risca o plano acima, você utilizará 15 horas por dia. Se colocar mais 1h30 de deslocamento para o que você decidir fazer, ainda poderá dormir 7h30 por dia. Será mesmo que falta Tempo para fazermos aquilo que realmente importa? Ou são as suas prioridades que estão descalibradas. Será que você conseguirá entender que correr mais no dia a dia não significa usar melhor seu Tempo? Talvez seja "Tempo para refletir". Se no meio disso tudo você conseguir se divertir, falar bom dia e obrigado a todos que encontrar e eu te amo para as pessoas mais importantes para você, certamente o Tempo lhe será generoso.

Mas não se engane. Cada vez que você ignora a importância do Tempo e seu bom uso, sua vida parecerá passar mais rápido. Não por culpa dele. Mas porque você decidiu não saber o que valorizar. E Tempo é valor. No próximo texto falarei de PRODUTIVIDADE. Fica ligado e boa semana. ;-)

Últimas