O Conservador Tecnológico Natal no Brasil: um picadeiro, dois palhaços e 200 milhões de loucos

Natal no Brasil: um picadeiro, dois palhaços e 200 milhões de loucos

Mais do que nunca o sentido do Natal deveria ser compreendido. Ao invés disso, permanecemos no meio de uma disputa de dois irresponsáveis, que se chamam Bolsonaro e João Dória

Eu poderia escrever no dia de hoje sobre o nascimento de Jesus e o real significado do Natal (longe do que trazemos no dia a dia, de consumismo desenfreado e pouca reflexão). Mas vou contar com o seu entendimento leitor, porque hoje quer falar de outro assunto.

Faltando apenas uma semana para o final de 2020, dois pratagonistas se destacam. De um lado, o homem número 1 da nação, o presidente da República Jair Bolsonaro. Passou 2020 todo sem apresentar bons resultados. Sem explicar rachadinhas e depósitos do Queiroz. Passou o ano inteiro negando uma pandemia que já na primeira semana de 2021 terá levado do nosso convívio 200 mil brasileiros. Chamou de gripezinha, não seguiu protocolos básicos de saúde, como usar máscara, se contaminou e contaminou outros ao seu redor, trocou 2 vezes o ministro da saúde em plena pandemia. Boicotou a discussão de vacinas, atrasando ao máximo a compra delas, na alegação frágil e ignorante de o brasileiro deve ser "macho"para enfrentar o vírus. Oi? Bolsonaro, em dois anos de mandato, mas sobretudo neste, se mostrou despreparado e pequeno para a cadeira de presidente do Brasil. Foi humilhado internacionalmente. Não consegue debater com um adolescente do 8o ano. Sabota sua própria equipe econômica (que de fato não sabe trabalhar e também se acostumou a mais mentir ao Brasil do que apresentar resultados).

Bolsonaro não representa uma nova forma de governar. Representa talvez o último governo da política ineficiente, populista e raivosa. A sua própria história no Exercito Brasileiro e como parlamentar mostra isso. Basta estudar. Que promove a ignorância sobre o pretexto de falar a linguagem popular, mas que de fato, só piora a vida do povo. Lula e Bolsonaro são iguais, com a diferença que Bolsonaro, em sua vida política teve mais sorte em formar sua holding familiar. Aqueles que o defendem também defendem não tomar vacina, andar armado na rua. Defendem que a Terra é plana e que o homem nunca pisou na Lua - veja o absurdo. São negacionistas e sabotadores da democracia. E cada vez isso fica claro.

Do outro lado temos o governador do estado motor econômico do país, que controla o segundo orçamento da naçao, de São Paulo, João Dória. Sabe aquela propaganda enganosa, de pirâmide,  ou de produto que vc compra mas no fim nao cumpre o que promete? Bem vindo ao Dória. Marketeiro nato, só sabe entregar imagem. Assim como Bolsonaro, resultados não são o seu forte. Anunciou o início da vacinação para o dia 25 de janeiro. Sabe por que? Para criar um fato político de comecar no dia do aniversário da cidade de São Paulo. Não importa se teremos vacina antes. Temos que começar no dia comemorativo. Dá matéria. Dá jornal. Vende imagem. Dória não é confiável. Nem os tucanos acreditam que ele poderá ser viável para as eleições presidenciais de 22. Mas o ego é tão grande e inflado que neste ponto, falta de resultados e busca desenfreada pelo poder, ele e Bolsonaro se tornam um. Tentou passar o Natal e Ano Novo nos Estados Unidos. Retornou ontem, depois de uma massiva campanha contra sua imagem nas redes sociais e do vice governador anunciar que estava com COVID 19.

Veja a insanidade. A pandemia aumentando novamente e o governador do estado, que tamb;em é o maior defensor da vacina CORONAVAC, resolve passar o Natal e Ano novo onde? Viajando. Para que trabalhar não é mesmo? Dória é uma das maiores mentiras (assim como Bolsonaro e Dilma) que a política brasileira já produziu. E vendo tudo isso de camarote, 200 milhões de idiotas. Uma parte briga entre si defendendo estes irresponsáveis. Outra parte assiste passivamente. E o Brasil "que se lasque".

Se você leitor, for inteligente como imagino, saberá que entre Dória, Lula, Dilma e Bolsonaro, apenas a incompetência, populismo e irresponsabilidade os une. Se um destes for o caminho da sua escolha em 2022, pobre do Brasil. E você não terá o direito de reclamar. Sabe por que? Porque loucos só acreditam estar certos quando tem público para isso. Acorde. O ano de 2021 já será bem difícil. E faço questão de lembrar:

"Quando os justos governam, alegra-se o povo. Mas quando o ímpio governa, o povo geme" - Provérbios 29:2. E aí te pergunto. Nosso povo está gemendo ou está alegre? Reflita e saia da bolha.

Um feliz Natal com o nascimento de Jesus iluminando a sua família e com muita saúde em sua mesa.

Últimas