Fui dependente no IR 2020. Ainda tenho direito ao auxílio de R$ 300?

Para continuar a receber o auxílio emergencial residual o beneficiário tem que passar por novos critérios; saiba qual dependente pode continuar

Patrimônio e dependência no IR podem impedir acesso ao benefício

Patrimônio e dependência no IR podem impedir acesso ao benefício

ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Quem estava recebendo o auxílio emergencial de R$ 600 (ou R$ 1.200, no caso das mães solteiras), e foi incluído como dependente no Imposto de Renda 2020 vai poder receber o auxílio emergencial residual de R$ 300?

Esta é a dúvida da leitora Maruana, que escreveu para a coluna e perguntou:

Dúvida enviada pela leitora Maruana para a coluna

Dúvida enviada pela leitora Maruana para a coluna

Reprodução

Resposta: Depende.

A medida provisória nº 1.000, que prevê a prorrogação do auxílio emergencial por até quatro meses, com redução do valor de R$ 600 para R$ 300, prevê uma atualização de dois requisitos e a inclusão de mais seis requisitos para que o beneficiário possa continuar a receber esse auxílio complementar.

Leia também: Bolsa Família começa a receber auxílio de R$ 300 no dia 17

O beneficiário do auxílio emergencial de R$ 600 não poderá obter o auxílio residual de R$ 300 se tiver obtido, depois do recebimento das primeiras parcelas do auxílio:

- um emprego formal (com carteira assinada)

- benefícios da previdência (exceção ao Bolsa Família)

O auxílio residual também não será pago a brasileiros que moram no exterior ou presos em regime fechado.

Com relação aos dados do Imposto de Renda, o novo critério de exclusão da renda passa a ser o ano-base 2019 (IR 2020) e não mais o ano-base 2018 (IR 2019).

Não tem direito a receber o auxílio emergencial de R$ 300 quem:

- tenha tido tinha tido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019

- teve rendimentos  isentos,  não   tributáveis ou   tributados   exclusivamente  na   fonte acima de R$ 40.000,00

- tenha tido um patrimônio superior a R$ 300 mil em 31.12.2019.

E como ficam os dependentes?

Pelos novos critérios, fica impedido de receber o auxílio residual quem constar como dependente na declaração do Imposto de Renda 2020 na condição de:

- cônjuge

- companheiro;

- filho e enteado.

Sendo assim, se constar como dependente na condição de pai/avô/bisavô, por exemplo, não está impedido de continuar a receber o benefício, segundo a MP.

Quem pode ser dependente no IR?

A Receita Federal prevê que podem ser dependentes no IR 2020 as seguintes pessoas:

- o cônjuge (o marido ou a mulher);

- o companheiro com quem o contribuinte tenha filho ou viva há mais de 5 anos;

- o filho ou enteado de até 21 anos ou de qualquer idade se for incapacitado física ou mentalmente para o trabalho;

- o filho ou enteado de até 24 anos que ainda esteja cursando estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau;

- o irmão, neto ou bisneto, sem amparo dos pais, de quem o contribuinte detenha a guarda judicial, até 21 anos, ou em qualquer idade, quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho ou de até 24 anos se estiver estudando em escola superior ou técnica de segundo grau (desde que tenha detido a guarda judicial até 21 anos);

- os pais, avós e bisavós que, em 2019, tenham recebido rendimentos, tributáveis ou não, até R$ 22.847,76;

- o menor pobre até 21 anos que o contribuinte crie e eduque e de quem detenha a guarda judicial;

- a pessoa absolutamente incapaz, da qual o contribuinte seja tutor ou curador.

________________________

Se ainda tiver mais dúvidas sobre economia, dinheiro, direitos e tudo mais que mexe com o seu bolso, envie suas perguntas para “O que é que eu faço, Sophia?” pelo e-mail sophiacamargo@r7.com