R7 Planalto 52% dos deputados são favoráveis à legalização dos jogos de azar

52% dos deputados são favoráveis à legalização dos jogos de azar

Segundo pesquisa, congressistas favoráveis preferem que possíveis cassinos sejam instalados em cidades turísticas; lavagem de dinheiro é principal receio

  • R7 Planalto | Caio Sandin, do R7

Cassinos podem voltar a ser liberados no Brasil

Cassinos podem voltar a ser liberados no Brasil

Marlene Bergamo/Folhapress

Proibidos desde o governo de Eurico Gaspar Dutra, em 1946, os cassinos podem voltar às cidades brasileiras em breve. Junto com eles também há a possibilidade do retorno dos bingos. Pelo menos é o que aponta uma pesquisa realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas com deputados, em que 52,1% se revelaram favoráveis à legalização de todos os jogos de azar.

Para os 40,8% congressistas que se mostraram contrários à medida, as principais preocupações são uma possível facilitação à lavagem de dinheiro e o aumento do vício patológico.

Já na fatia favorável ao retorno, a localização é o maior divisor. Enquanto 40,1% acreditam que os cassinos devem ser instalados em cidades turísticas, 21,6% acham que o local mais apropriado são cidades com IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) baixo, e outros 8,4% veem a proposta com bons olhos independentemente da localidade. Ainda, 16,2% são indiferentes à escolha de lugar.

Um projeto de lei sobre o assunto tramita no Senado Federal desde 2014 e, atualmente, aguarda por deliberação em plenário para avançar. Segundo a página da PL na internet, 80,6% dos internautas que votaram sobre o projeto são favoráveis ao retorno do jogo de azar.

Em uma de suas últimas medidas como presidente da República, Michel Temer legalizou a aposta esportiva, em dezembro de 2018. A medida foi um primeiro passo importante para o retorno legalizado dos jogos de azar e das apostas.

A pesquisa com os congressistas foi realizada pelo Instituto Paraná com 238 deputados federais de todas as regiões e estados brasileiros, através de entrevistas pessoais ou telefônicas entre os dias 27 e 31 de maio de 2019.

Últimas