R7 Planalto À CPI, AGU diz que não possui vídeo original da reunião ministerial

À CPI, AGU diz que não possui vídeo original da reunião ministerial

Órgão respondeu requerimento de senador e, caso se faça necessário, que colegiado peça ao Supremo Tribunal Federal

Imagem mostra reunião ministerial de 22 de abril

Imagem mostra reunião ministerial de 22 de abril

Reprodução

Em documento enviado à CPI da Covid, a AGU (Advocacia-Geral da União) afirmou que não possui a gravação original da reunião ministerial do dia 22 de abril de 2020.

“Nesse sentido, é importante ressaltar que a Advocacia-Geral da União não detém a gravação original, pois o HD externo em que constava a mídia foi entregue ao Supremo Tribunal Federal, em 08 de maio de 2020, em sua integralidade”, afirma o documento, assinado por André Mendonça.

A declaração da AGU é uma resposta ao requerimento, feito pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE), que solicitou ao presidente da República o envio da gravação da reunião ministerial.

A AGU encaminhou a CPI o link de acesso no site do STF (Supremo Tribunal Federal), em que consta o vídeo da reunião. O órgão afirmou, ainda, que caso a comissão “entenda necessário acesso ao conteúdo distinto daquele anteriormente disponibilizado, sugere-se que o pedido seja encaminhado ao STF”.

Na reunião, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que iria interferir em ministérios e na PF (Polícia Federal), que tinha um sistema particular de informações, proferiu xingamentos contra adversários políticos, além de comentar sobre a troca de seguranças e ministros.

O vídeo da reunião ministerial foi liberado por decisão do ministro Celso de Mello. Na decisão, o então decano da Corte determinou o sigilo quanto ao teor da gravação, mas manteve o sigilo em partes em que há referência a determinados Estados.

Últimas