R7 Planalto A mentira petista sobre a parcialidade de Sérgio Moro

A mentira petista sobre a parcialidade de Sérgio Moro

O PT tenta desqualificar o juiz para tentar convencer a população de que o ex-presidente Lula só está preso por ser adversário de Bolsonaro 

  • R7 Planalto | Do R7

Lula está preso por lavagem de dinheiro e corrupção

Lula está preso por lavagem de dinheiro e corrupção

Adriano Machado/Reuters - 13/12/2017

O juiz Sérgio Moro é parcial. 

Você já deve ter lido e ouvido isso centenas de vezes nos últimos anos. E qual a razão para um veredicto, digamos assim, tão peremptório?

"Bem, ele só persegue o Lula e outros petistas. O Aécio continua solto", respondiam em uníssono todos os convertidos à seita comandada de uma cela da Polícia Federal, em Curitiba. Só esqueciam de mencionar que o senador mineiro, ao contrário do ex-presidente, não tinha processo com Moro, e quando o STF determinou o seu afastamento do mandato, em setembro de 2017, o Senado não permitiu que perdesse o cargo.    

Dito de outro maneira: Aécio tem foro privilegiado e não pode ser alcançado por um juiz de primeira instância, como Moro ou Marcelo Bretas. Pode ser discutível, mas é assim que é. 

A narrativa petista, no entanto, vendia para os mais inocentes a falácia da parcialidade de Moro

É o que tenta-se fazer novamente agora quando o juiz é escolhido para comandar a superpasta da Justiça

Sérgio Moro tornou-se ao longo dos anos exemplo de combate à corrupção, e por isso virou o sonho de consumo de vários candidatos na eleição passada, sobretudo Álvaro Dias, que em diversos debates na TV, verbalizou a intenção de convidá-lo caso vencesse a disputa.

Nada mais natural que Bolsonaro, embalado pela campanha contra as roubalheiras do PT, tenha optado pelo nome do juiz para implementar uma política vigorosa contra os desmandos privados e públicos.

Sérgio Moro nunca demonstrou preferência por qualquer candidato. Chegou mesmo a recusar um aperto de mão de Bolsonaro durante um encontro casual no aeroporto de Brasília, no ano passado. 

Os petistas procuram apenas mais um motivo para tentar rechaçar o fato de serem liderados da cadeia.

Últimas