AGU pede ao STF que apenas trecho com Moro seja divulgado

O ex-ministro da Justiça afirmou que, durante a reunião de 22 de abril, o presidente teria tentado interferir politicamente na Polícia Federal

Registro audiovisual é alvo de embate entre Moro e AGU

Registro audiovisual é alvo de embate entre Moro e AGU

Isaac Amorim / MJSP / 02.01.2019

A AGU (Advocacia-Geral da União) protocolou nesta quinta-feira (14) uma manifestação para que a divulgação do vídeo da reunião ministerial ocorrida em 22 de abril seja apenas com os trechos que envolve o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro.

O documento foi protocolado junto ao STF (Supremo Tribunal Federal), que apura denúncias de Moro contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O ex-ministro afirmou que, durante a reunião de 22 de abril, o mandatário teria tentado interferir politicamente na Polícia Federal.

Leia mais: Vídeo de reunião não tem conteúdo reservado, diz advogado de Moro

O ministro Celso de Mello solicitou que Moro, AGU e PGR (Procuradoria-Geral da República) opinassem sobre quebrar ou não o sigilo da gravação da reunião ministerial.

A defesa de Moro, o advogado Rodrigo Sánchez Rios, afirmou na terça-feira (12) que o vídeo apresentado pela PF confirma as declarações do ex-ministro e não possuí nenhum conteúdo sensível ou que exige sigilo.

Fontes informaram, ainda, que a PGR deve seguir no mesmo sentido que a AGU.