João de Deus
R7 Planalto Apresentador da Band defende João de Deus com raciocínio machista 

Apresentador da Band defende João de Deus com raciocínio machista 

Fábio Pannunzio diz que "é preciso mais do que hormônios para se crer em uma história desta" e mostra como é dura a vida das vítimas do médium

O apresentador Fábio Pannunzio, do Jornal da Noite

O apresentador Fábio Pannunzio, do Jornal da Noite

Divulgalção

Os depoimentos pungentes das centenas de mulheres que acusam o médium João de Deus compõem uma das páginas mais dramáticas da miserabilidade da condição humana, de quanto o homem pode ser torpe na sua agonia pelo prazer temporal.

Muitas delas foram atacadas ainda na infância, quando a vida parece, ou deveria parecer, uma estrada a caminho do sol.

Poucas conseguiram sair daquele inferno íntegras de todo, sem sequelas por terem seus corpos devassados para que um predador demoníaco realizasse suas fantasias sexuais.     

Já escrevi aqui que, por mais que eu, como homem, seja solidário à dor dessas vítimas, chore pelos momentos de horror vividos e tente compreender o sofrimento que passaram, jamais conseguirei. Só uma mulher pode, de fato, entender toda a dimensão do mal que é ter sua dignidade ultrajada e o estrago que isso significa para poder, em outra quadra mais colorida, voltar a confiar na honestidade de outro homem.  

Repito, só uma mulher é capaz de mensurar, na plenitude, os buracos cavados na alma e o que é preciso ser feito para que a beleza da vida não esteja irremediavelmente comprometida.

Apesar do ataque sofrido, por muito tempo as vítimas preferiram o silêncio. A fala do apresentador Fábio Pannunzio, no Jornal da Noite, na Band, na última segunda-feira, explica o que temiam: 

"Olha, eu não tenho dúvida nenhuma de que, entre estes relatos, tem muito trigo e também algum joio. Você acha crível que este homem molestou 500 mulheres, aos 76 anos de idade? É preciso mais do que hormônios para se crer em uma história destas. E vamos devagar com a dor, pois, no meio disso tudo, pode haver uma grande campanha contrária a esta religião. É só para você pensar um pouquinho quando ouvir estes números."

É isso.

Mesmo no meio da gigante comoção gerada pelo caso João de Deus, alguns homens, ao invés de darem crédito ao que as mulheres falam, preferem, simplesmente, duvidar.

Por que duvidar de 500 vozes e acreditar em apenas uma? Será por que essa voz é de um homem?   

No afã de defender o médium, Pannunzio mistura sexo com religião, e utiliza um raciocínio tosco, poroso, pernicioso.

Ora, João de Deus não atacou essas mulheres todas agora aos 76 anos; ele vem fazendo isso ao longo da vida. Portanto, falar de hormônios é uma bobagem, e mais do que isso, um desrespeito com a dor de mais de 500 mulheres.  

Fábio Pannunzio produziu uma obra irretocável do machismo mais desumano que ainda persiste no Brasil.  

Veja abaixo o vídeo com a fala de Pannunzio: