R7 Planalto ‘Arroubos autoritários’, diz Aécio sobre ataques de João Doria

‘Arroubos autoritários’, diz Aécio sobre ataques de João Doria

Governador de SP informou que PSDB é partido de oposição ao governo Bolsonaro e que deputado mineiro deve sair do partido

Na imagem, deputado Aécio Neves (PSDB-MG)

Na imagem, deputado Aécio Neves (PSDB-MG)

Marcos Oliveira/Agência Senado - 23.8.2017

O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) reagiu as declarações feitas pelo governador de São Paulo, João Doria, e afirmou em nota que as afirmações são ‘arroubos autoritários’ e ‘falta temperança e humildade’.

“O PSDB tem uma longa tradição democrática, construída muito antes de sua chegada ao partido, e que não será sufocada por arroubos autoritários de quem quer que seja”, afirmou Aécio.

“O destempero do governador se deve, na verdade, à sua fracassada tentativa de se apropriar do partido, como ficou explicitado no jantar promovido por ele ontem, que tinha como objetivo afastar o atual presidente Bruno Araújo, para que ele próprio assumisse a presidência do PSDB”, acrescentou.

Na terça-feira (9), Doria se reuniu com aliados para um jantar no Palácio dos Bandeirantes. Na ocasião, apresentaram um plano para que o atual governador assuma a presidência do partido a partir de maio.

Doria voltou a falar sobre o assunto nesta quarta-feira (10), em coletiva de imprensa. Disse que o PSDB agora é um partido de oposição ao governo de Jair Bolsonaro e que Aécio deve seguir nessa linha ou mudar de legenda.

“Política não se faz com arroubos pela imprensa e nem se resume a ações sucessivas de marketing. Se o sr. João Dória, por estratégia eleitoral, quer vestir um novo figurino oposicionista para tentar apagar a lembrança de que se apropriou do nome de Bolsonaro para vencer as eleições em São Paulo, através do inesquecível Bolsodoria, que o faça, sem utilizar indevidamente e de forma oportunista outros membros do partido”, disse Aécio.

“Lamento profundamente que esteja faltando ao governador de SP a temperança e a humildade para compreender aquilo que sabemos desde a fundação do partido: que o PSDB não tem dono e que a vontade de um jamais se sobreporá à vontade da maioria”, finalizou.

Últimas