Arthur Virgílio entra com queixa-crime contra Bolsonaro no STF 

Prefeito de Manaus processa o presidente por injúria e difamação por ter sido xingando na reunião de 22 de abril. Ele pede que Câmara analise processo

Prefeito de Manaus entra com queixa-crime contra Bolsonaro no STF

Prefeito de Manaus entra com queixa-crime contra Bolsonaro no STF

SERGIO DUTTI/ESTADÃO CONTEÚDO-17/06/2008

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), apresentou queixa-crime contra o presidente Jair Bolsonaro no STF (Supremo Tribunal Federal) por injúria e difamação nas falas do presidente na reunião ministerial de 22 de abril.

O vídeo da reunião foi divulgado após determinação do STF no dia 22 de maio no inquérito que investiga se houve interferência de Bolsonaro na autonomia da Polícia Federal. Arthur Virgílio foi xingado pelo presidente, assim como os governadores João Doria e Wilson Witzel, durante o encontro. 

Queixa-crime é uma ação de natureza privada e por isso não depende de iniciativa do Ministério Público para ser levada adiante. Na inicial, os advogados do prefeito pedem que a queixa-crime seja submetida também à Câmara dos Deputados, para ser analisada sobre a possibilidade de abertura de processo penal contra o presidente da República.