R7 Planalto Assessor de Bolsonaro faz gesto obsceno em sessão do Senado

Assessor de Bolsonaro faz gesto obsceno em sessão do Senado

Episódio ocorreu durante fala do presidente Rodrigo Pacheco. Senador Rodrigo Randolfe pediu retirada de Filipe Martins do local

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, Rodrigo Pacheco e Filipe Martins

Na imagem, Rodrigo Pacheco e Filipe Martins

Reprodução

O assessor especial para assuntos internacionais do presidente Jair Bolsonaro, Filipe Martins, fez um gesto obsceno durante uma sessão do Senado Federal nesta quarta-feira (24).

O episódio ocorreu durante a abertura da sessão com fala do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Os senadores se reuniram na tarde desta quarta para questionar o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, sobre a atuação da pasta em relação a aquisição de vacinas contra a covid-19.

A informação foi dada por Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Durante sua fala, o senador comunicou a Casa sobre o episódio, pediu para que o assessor fosse retirado das dependências do Senado e que fosse autuado pela Polícia Legislativa.

"Eu não sei qual o sentido do gesto do senhor Filipe, era bom que ele explicasse, mas isso é inaceitável, em uma sessão do Senado Federal, durante a fala do presidente do Senado, um senhor está procedendo de gestos obscenos, está ironizando o pronunciamento do presidente da nossa Casa. Não, isso é inaceitável e intolerável", afirmou Randolfe.

"Isso é inaceitável. Basta o desrespeito que esse governo está tendo com mais de 300 mil mortes a esta altura. Não aceitamos que um capacho do presidente da República venha ao Senado, durante a fala do presidente do Senado, nos desrespeitar", acrescentou.

Nas imagens, é possível ver Martins fazendo o gesto obsceno enquanto o presidente do Senado comunicava sobre a reunião, realizada durante o período da manhã, que culminou no anúncio da criação de um comitê de enfrentamento à covid-19. O grupo contará com a participação de representantes dos três Poderes.

O presidente do Senado confirmou o episódio, pediu que a secretaria, assim como a polícia, que identificasse o fato, mas que não ia prejudicar o andamento da sessão. “É muito importante nós ouvirmos o ministro das Relações Exteriores que aqui comparece para poder fazer os esclarecimentos necessários aos senadores”, disse. Em seguida, pediu calma aos senadores.

O gesto feito pelo assessor especial, que é considerado uma obscenidade no Brasil, também é muito parecido com um que é usado por supremacistas brancos. 

Na sessão, o ministro das Relações Exteriores, por sua vez, não comentou o episódio.

A reportagem busca contato com o assessor. O espaço está aberto para manifestação.

Últimas