R7 Planalto Bolsonaro admite a Biden alta do desmatamento da Amazônia

Bolsonaro admite a Biden alta do desmatamento da Amazônia

Presidente da República prometeu eliminar desmatamento ilegal no Brasil até 2030. Documento foi enviado nesta quarta (14)

  • R7 Planalto | Daniela Matos, da Record TV, com Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, presidente Jair Bolsonaro

Na imagem, presidente Jair Bolsonaro

Adriano Machado/ REUTERS 08.04.2021

Em carta enviada ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) admitiu a alta de desmatamento na Amazônia e prometeu eliminar o desmatamento ilegal no Brasil até 2030.

"Salientar essas medidas e resultados não é, para meu governo, um expediente superficial para escusarmo-nos de fazer mais e melhor. A ação do Estado e da sociedade precisam aperfeiçoar-se. Reconheço, por exemplo, que temos diante de nós um desafio de monta, com o aumento das taxas de desmatamento na Amazoônia, que se vem verificando desde 2012", afirmou Bolsonaro.

"Queremos reafirmar nesse ato, em inequívoco apoio aos esforços empreendidos por V. Excelência, o nosso compromisso em eliminar o desmatamento ilegal no Brasil até 2030", acrescentou.

O desmatamento na floresta amazônica brasileira atingiu um pico de 12 anos em 2020, mostraram dados oficiais do governo divulgados pelo Prodes, sistema de cobertura de satélite que dá a estimativa oficial de desmatamento do país.

No período entre agosto de 2019 e julho de 2020, a destruição da maior floresta tropical do mundo aumentou 9,5% em relação ao ano anterior, para 11.088 quilômetros quadrados, de acordo com dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que ainda são considerados prévios.

O documento foi enviado ao presidente norte-americano nesta quarta-feira (14) e contém, ao todo, sete páginas. O envio da carta ocorre dias antes do encontro com dezenas de chefes de Estado sobre mudanças climáticas - o convite partiu do próprio Biden e a reunião será realizada em 22 de abril e marca o retorno de Washington à primeira linha do combate às mudanças climáticas, depois de o governo de Donald Trump abandonar o Acordo de Paris sobre o clima.

"Reitero o compromisso do Brasil e do meu governo com os esforços internacionais de proteção do meio ambiente, combate à mudança do clima e promoção do desenvolvimento sustentável. Teremos enorme satisfação em trabalhar com V. Excelência em todos esses objetivos comuns", disse Bolsonaro na carta.

Últimas