Bolsonaro demite ministro Gustavo Bebianno

Permanência de ministro ficou insustentável com o caso dos ''laranjas'' na campanha eleitoral e ser chamado de mentiroso por filho de Bolsonaro

Bebiano demitido

Gustavo Bebianno foi demitido por  Bolsonaro

Gustavo Bebianno foi demitido por Bolsonaro

Sergio Moraes/Reuters - 18.10.2018

O presidente Jair Bolsonaro demitiu na tarde desta segunda-feira (18) o ministro da Secretaria-Geral, Gustavo Bebianno. O cargo será ocupado pelo general Floriano Peixoto.

Mais cedo, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, já havia antecipado que a exoneração não passaria desta segunda-feira.

Durante o fim de semana, Bolsonaro e auxiliares tiveram reuniões para encontrar uma forma "honrosa" de demitir o ministro.

Bebianno vem sendo acusado de supostas irregularidades nas campanhas eleitorais do PSL ocorridas na época em que ele presidia o partido, que também tem o presidente Bolsonaro como filiado. A crise cresceu quando o vereador Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente, chamou Bebianno de mentiroso, declaração que foi reforçada pelo próprio presidente.

Nesta segunda-feira, Gustavo Bebianno, disse que está recebendo ameaças pelo WhatsApp. Sem dar detalhes, afirmou que já identificou algumas pessoas e que vai tomar providências.

Leia a nota da Presidência sobre a exoneração de Bebianno:

Nota à Imprensa

O Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, decidiu exonerar, nesta data, do cargo de Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, o Senhor Gustavo Bebianno Rocha.

O Senhor Presidente da República agradece sua dedicação à frente da pasta e deseja sucesso na nova caminhada.

Brasília, 18 de fevereiro de 2019

Após o anúncio da demissão, Bolsonaro divulgou vídeo com elogios a Gustavo Bebianno.

Na última quarta-feira (13), em entrevista ao Jornal da Record, quando recebeu alta do Hospital Albert Einstein, Bolsonaro disse que Gustavo Bebianno poderia "voltar às origens".