R7 Planalto Bolsonaro: embaixadores nos EUA não fazem nada desde 2003

Bolsonaro: embaixadores nos EUA não fazem nada desde 2003

Após retornar da Cúpula do Mercosul, o Presidente foi questionado sobre a escolha de Eduardo Bolsonaro para o cargo e criticou atuação 

Jair Bolsonaro esteve na cúpula do Mercosul, na Argentina

Jair Bolsonaro esteve na cúpula do Mercosul, na Argentina

Alan Santos/PR - 17.07.2019

O presidente da República, Jair Bolsonaro, comentou sobre a possibilidade de seu filho, o atual deputado federal Eduardo Bolsonaro, assumir o cargo de embaixador brasileiro em Washington, capital dos Estados Unidos. 

Segundo ele, a decisão não é apenas dele já que "passa pelo parlamento". Sobre a capacidade do filho para ocupar o cargo, Bolsonaro afirmou:

— Ele tem rodado o mundo todo, tem uma amizade com a família Trump. E é o que eu digo, imagina se o filho do Macri fosse embaixados no Brasil, ligando para mim. Quando ele seria atendido? Amanhã, semana que vem ou imediatamente? Essa que é a intenção. Se você pegar de 2003 para cá, o que os embaixadores que nós tivemos do Brasil nos Estados Unidos fizeram para nós? Nada.

Os embaixadores do Brasil nos Estados Unidos desde 2003, quando começaram os governos petistas, foram: Rubens Antonio Barbosa (indicado ainda em 1999 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, ficou até 2004); Roberto Abdenur; Antonio Patriota; Mauro Vieira; Luiz Alberto Figueiredo e Sérgio Amaral. Todos diplomatas de carreira. 

Bolsonaro disse também que poderia muito bem colocar Eduardo como ministro das Relações Exteriores e mandar Ernesto Araújo para Washington, mas que não é isso que quer fazer. 

O presidente disse que, por ele "decidiria agora, mas eu não posso tomar decisões de forma tão abrupta". Por isso, já iniciou conversas para negociar a indicação:

— Já conversei com o Alcolumbre, conversei com o Fernando Bezerra, parlamentares. Alguns estão dando parecer completamente contrário, não conhecem a vida do meu filho. Olha, ele fritou hambúrguer no passado, sabe por que? Porque não tinha dinheiro para se bancar lá. Qual a intenção de ele ficar seis meses nos Estados Unidos? Aperfeiçoar o inglês dele.

Segundo Jair Bolsonaro, hoje, seu filho "está com um inglês muito bom".

O presidente afirmou ainda, quando perguntado se Eduardo receberia petistas na embaixada: "com bandeirinha no peito, ninguém". E encerrou: "embaixada é lugar de fazer política".