R7 Planalto Bolsonaro preferiu Damares Alves em live no lugar de Paulo Guedes

Bolsonaro preferiu Damares Alves em live no lugar de Paulo Guedes

Presidente quis evitar que a transmissão semanal tivesse um caráter político, apenas para sinalizar que estava tudo bem entre ele e o ministro da Economia

  • R7 Planalto | Thiago Nolasco, da Record TV, com Thiago Calil, do R7

Bolsonaro preferiu Damares Alves em live no lugar de Paulo Guedes

Bolsonaro preferiu Damares Alves em live no lugar de Paulo Guedes

Alan Santos/PR - 29.07.2020

O ministro da Economia, Paulo Guedes, era esperado para participar da live semanal do presidente Jair Bosonaro na noite desta quinta-feira (27). Mas, pouco antes da transmissão ir ao ar, o chefe do executivo anunciou que estaria ao lado de Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Segundo fontes do Planalto, a mudança partiu do próprio Bolsonaro, que preferiu Damares. Os dois conversaram antes de desmarcar o encontro e quiseram evitar que a transmissão tivesse um caráter político apenas para sinalizar que o ambiente está bom entre os dois. 

A participação de Guedes era aguardada após uma semana marcada pela divergência pública do ministro com o presidente sobre o Renda Brasil.

Na live, Bolsonaro afirmou ser "impossível" manter o auxílio emergencial em 2021. Ele garantiu o benefício até dezembro e disse que os próximos pagamentos devem variar entre R$ 200 e R$ 600.

Para criar o Renda Brasil, o Ministério da Economia propõe acabar com outros programas, para poder ampliar valor e número de pessoas que recebem o Bolsa Família, sem, no entanto, furar o teto de gastos.

Bolsonaro não gostou da primeira proposta da equipe econômica e ontem (27) disse que não iria mandar ao Congresso Nacional o projeto de Guedes de usar os recursos do abono salarial do Pis/Pasep para o novo programa Renda Brasil. "Não posso tirar de pobre para dar para paupérrimos", justificou.

A declaração gerou dúvidas sobre a permanência de Guedes no cargo. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, defendeu Bolsonaro dizendo que ele estava correto na avaliação sobre o Renda Brasil.

Últimas