tragédia brumadinho
R7 Planalto Brumadinho: Governo detalha ação para ajudar vítimas em MG

Brumadinho: Governo detalha ação para ajudar vítimas em MG

O porta voz da presidência comentou a mobilização de órgãos federais e o que cada um deles tem como responsabilidade

O secretário da SECOM, general Otávio Santana do Rêgo Barros

O secretário da SECOM, general Otávio Santana do Rêgo Barros

Valter Campanato/Agência Brasil - 25.01.2019

O governo federal, por meio do secretário de Comunicação Social da Presidência da República, general Otávio Santana do Rêgo Barros, explicou como deve se dar a atuação dos órgãos federais nos próximos dias em virtude da tragédia de Brumadinho.

Para iniciar, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, já chegou à região do acidente, onde deverá orientar a abertura de um gabinete que centralizará as informações a respeito das atividades realizadas.

Também estão em deslocamento para a área atingida, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, que devem acompanhar e apoiar o trabalho das defesas civis locais, tendo como prioridade o socorro e assistência à população afetada.

Equipes do Ibama, do Serviço Geológico do Brasil, da Agência Nacional de Mineração e do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres estão caminho para desempenharem sua função, mantendo permanente contato com representantes da prefeitura e governo do Estado para orientar nas primeiras ações de resgate às possíveis vítimas e demais necessidades emergenciais.

A Agência Nacional de Águas, por sua vez, coordenará as ações para manutenção do abastecimento das cidades que captam água ao longo do Rio Paraopeba e fará o monitoramento da onda de rejeitos, a qual estima que será amortecida na Barragem da Usina Hidrelétrica do Retiro Baixo, a 220 km do local do rompimento.

Já o Ministério da Defesa determinou que o Comando Militar do Leste, por meio da 4ª Região Militar, coordene das ações das Forças Armadas em apoio à Defesa Civil de Minas Gerais, disponibilizando, também, três helicópteros de médio porte, equipados e com integrantes das Forças Armadas, para atuar em operações de transporte, busca e resgate e permanecerão à disposição das operações na região atingida. Outra incumbência será a analise de imagens de satélite de alta resolução da área para fornecer dados sobre os impactos do acidente.