R7 Planalto Câmara: campanha de Baleia sofre com dissidências na reta final

Câmara: campanha de Baleia sofre com dissidências na reta final

Depois do PSL ter mudado de lado, agora o DEM, partido de Maia, tem um racha público liderado por ACM Neto

  • R7 Planalto | Mariana Londres, de Brasília

Câmara: campanha de Baleia sofre com dissidências na reta final

Câmara: campanha de Baleia sofre com dissidências na reta final

Reprodução Câmara dos Deputados

A campanha de Baleia Rossi (MDB-SP) à presidência da Câmara sofreu nesta terça-feira (26) mais um revés com o racha público do DEM, partido do articulador de sua campanha e presidente da Câmara, Rodrigo Maia. 

Para manter cargos na administração federal e diante da vantagem numérica do candidato do Planalto, Arthur Lira (PP-AL), a bancada de deputados baianos do DEM declarou apoio a Lira. O grupo dissidente é comandado pelo presidente nacional do partido e ex-prefeito de Salvador, ACM Neto. Após reunião tensa da cúpula no Rio, Maia disse que a legenda pode ganhar o apelido de "partido da boquinha" em função do posicionamento. Com o racha, dos 32 deputados do DEM, Baleia deve levar 22 votos.  

Na semana passada, a candidatura de Baleia já tinha sofrido com a mudança oficial do PSL para o bloco do seu adversário. O PSL havia se juntado à Baleia no lançamento de sua candidatura com a presença do presidente Luciano Bivar, mas a ala bolsonarista do partido já apoiava Lira publicamente. Com a mudança, o bloco de Lira passou a ser o mais numeroso, com onze partidos e total de 258 deputados/eleitores, ante agora 238 de Baleia e também onze legendas.  

Os números, no entanto, não antecipam de forma fiel o que acontecerá na urnas. Há dissidências em muitos partidos, para ambos os lados. Mas a balança tem se mostrado menos favorável para o lado do emedebista nos últimos dias. Além do DEM e PSL, há clara divisão no PSB e também no PSDB e com exceção do PSL, os partidos estão oficialmente no bloco de Baleia. 

Bloco de Arthur Lira: PL, PP, PSL, PSD, Republicanos, PTB, Podemos, Pros, PSC, Avante e Patriota.

Bloco de Baleia Rossi: PT, MDB, PSDB, PSB, DEM, PDT, Solidariedade, Cidadania, PCdoB, PV e Rede. 

Psol e Novo são independentes e têm candidatura própria. Em caso de segundo turno pendem para o lado de Baleia Rossi. 

Os blocos só se tornarão oficiais no registro das chapas eleitorais, na véspera da votação, em 1º de fevereiro. Até lá, pode haver mudanças de postura. 

Últimas