R7 Planalto Câmara vai derrubar proposta do governo para aposentadoria rural

Câmara vai derrubar proposta do governo para aposentadoria rural

Afirmação é do presidente da Casa, Rodrigo Maia, que esteve reunido com líderes dos partidos. Comissão também irá vetar alteração no chamado BPC

  • R7 Planalto | Paulo Lima e Mariana Londres, do R7

Rodrigo Maia discutiu reforma da Previdência com líderes dos partidos

Rodrigo Maia discutiu reforma da Previdência com líderes dos partidos

Luis Macedo/Agência Câmara 08.03.2019

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta terça-feira (2), em Brasília, após reunião com líderes de partidos que as mudanças na PEC (Proposta de Emenda Constitucional) da reforma da Previdência vão sofrer mudanças na Comissão Especial. Não haverá alterações na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), que irá analisar se o projeto do governo fere princípios constitucionais.
Após o encontro, Maia afirmou que as propostas do governo que tratam da aposentadoria rural do BPC (Benefício de Prestação Continuada) serão barradas na Comissão Especial.
_ Não vão sobreviver na Comissão Especial, em hipótese nenhuma. Os partidos já decidiram isso, em sua maioria, é só uma questão de tempo.
Rodrigo Maia explicou que a Comissão Especial que trata da reforma da Previdência irá focar em temas que considera mais importantes, como a aposentadoria do servidor público (transição para os anteriores a 2003), aposentadoria especial para professores e policiais, e a questão da idade mínima com transição do regime geral.

Estados

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse também que partidos ligados a governadores, principalmente no nordeste, estão trabalhando contra a reforma da Previdência.

_ Há ainda um mau humor em relação ao que vai atender os Estados nessa reforma". Eu espero que a gente consiga mostrar ao Brasil que há uma preocupação de todos em organizar as contas públicas, é importante que os partidos de todos os governadores colaborem com a aprovação da reforma da Previdência.

Maia complentou dizendo que o governador, do PSL ao PT, todos devem ter o benefício da aprovação da Previdência e o sacrifício em votar a Previdência. E que não é possível discursar contra a reforma da Previdência e votar contra, e depois ter o benefício da aprovação da reforma que irá ajustar as contas públicas.

Últimas