China reage a postagem de Weintraub sobre pandemia

Embaixador espera posicionamento oficial do governo brasileiro sobre insinuação de Weintraub de que país se beneficiaria da pandemia

Embaixada da China reage a postagem de Weintraub sobre pandemia

Embaixada da China reage a postagem de Weintraub sobre pandemia

Wilson Dias/Agência Brasil

A Embaixada da China no Brasil reagiu nesta segunda-feira (6) a uma postagem feita pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, em sua conta no Twitter neste final de semana. 

O ministro, usando imagens da Turma da Mônica, fez insinuações de que a China poderia se beneficiar, de forma propositada, da crise mundial causada pelo coronavírus.  Após repercussão negativa, o post foi apagado.

Ao R7 Planalto, o ministro disse que não é racista e que a declaração não foi racista. Falou ainda que está precisando de dois mil respiradores para os hospitais universitários e que seria bom se a China os vendesse a preço de custo. 

Em nota, a Embaixada da China no Brasil repudiou, por meio de porta-voz, as declarações de Weintraub.

"Deliberadamente elaboradas, tais declarações são completamente absurdas e desprezíveis, que têm cunho fortemente racista e objetivos indizíveis, tendo causado influências negativas no desenvolvimento saudável das relações bilaterais China-Brasil", escreveu a embaixada, que concluiu cobrando que aqueles que tenham ofendido a China "corrijam" os erros.

O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, disse, também na rede social, que a China espera um posicionamento oficial do Brasil sobre a declaração do ministro Abraham Weintraub.

"O lado chinês aguarda uma declaração oficial do lado brasileiro sobre as palavras feitas pelo min. da educação, membro do governo brasileiro. Nós somos cientes de que nossos povos estão do mesmo lado ao resistir às palavras racistas e salvaguardar nossa amizade".