Com demora na criação do Aliança, Bolsonaro se reaproxima do PSL

Presidente poderia voltar para antiga legenda, mas presença de ex-aliados como Joice Hasselmann e Junior Bozzella é empecilho 

Bolsonaro em evento de lançamento do Aliança pelo Brasil

Bolsonaro em evento de lançamento do Aliança pelo Brasil

GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO/21/11/2019

Com a demora na criação do Aliança pelo Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se aproxima de outros partidos, inclusive do PSL, legenda que deixou no ano passado.

Apesar da reaproximação, a presença de ex-bolsonaristas na legenda, como Joice Hasselmann (PSL-SP) e Junior Bozzella (PSL-SP) gera resistência por parte de Bolsonaro. 

‘Aliança está totalmente fora das eleições municipais’, diz Bibo Nunes

Por Aliança pelo Brasil, Bolsonaro deve visitar 21 capitais

O presidente e aliados próximos foram cortejados por várias legendas que se dispuseram a dar espaço para bolsonaristas, especialmente os que irão disputar as eleições municipais, enquanto o Aliança pelo Brasil não sai do papel. Mas os acordos foram feitos por Estados e não incluíram uma eventual ida do liança presidente.Carlos e Flávio Bolsonaro, por exemplo, migraram para o Republicanos.

Bolsonaro com o líder do governo na Câmara, deputado major Vitor Hugo, do PSL-GO

Bolsonaro com o líder do governo na Câmara, deputado major Vitor Hugo, do PSL-GO

Najara Araújo/Câmara dos Deputados - 15.07.2019

A orientação geral é que os aliados podem ir em busca desses acordos regionais, desde que deixem claro para os partidos que irão para o Aliança assim que a legenda se viabilizar, o que ainda está nos planos, apesar das dificuldades.

Uma pessoa próxima ao presidente diz que Bolsonaro e aliados ainda não jogaran a toalha em relação ao Aliança, mas que já estudam a possibilidade de ir para outro partido, especialmente se for uma legenda que garanta uma saída sem traumas, inclusive jurídicos, para o Aliança.