Novo Coronavírus

R7 Planalto Comissão quer saber se houve pressão para não comprar Sputnik

Comissão quer saber se houve pressão para não comprar Sputnik

Vacina russa contra a covid-19 foi rejeitada pela Anvisa, que alega falta documentos para aprovação do imunizante no país

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, vacina russa Sputnik contra covid-19

Na imagem, vacina russa Sputnik contra covid-19

Ognen Teofilovski/Reuters - 06.05.2021

A Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), requerimento para que o Ministério das Relações Exteriores esclareça se houve ou não pressão, por parte dos Estados Unidos, para que o Brasil não adquira a Sputnik V, vacina russa contra a covid-19.

O requerimento é de autoria da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB-AC) e tem como base informações constantes do relatório publicado pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos americano.

De acordo com o documento, o governo dos Estados Unidos teria pressionado o governo brasileiro para rejeitar a compra da Sputnik, vacina desenvolvida pelo instituto Gamaleya, na Rússia.

Anvisa

Na última segunda-feira (10), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) respondeu ao STF (Supremo Tribunal Federal) e encaminhou as informações sobre os documentos que faltam para nova análise para autorizar a importação e distribuição do imunizante.

A resposta veio após ação do Maranhão contra a agência no STF, que deu 48 horas para o órgão explicar quais são os documentos pendentes da vacina. A Sputnik tem sido alvo de pressão de governadores do Nordeste, que já fecharam contrato pela compra de 60 milhões de doses do produto. Os desenvolvedores da vacina, assim como os Estados, negam que haja qualquer problema com a Sputnik.

Últimas