R7 Planalto Comunidade judaica repudia acusação de Ciro Gomes

Comunidade judaica repudia acusação de Ciro Gomes

Ex-governador e candidato à Presidência em 2018 disse que 'empresas corruptas de Israel' financiaram campanha de fake news em prol de Bolsonaro

Esta não é a primeira vez que Ciro tem entreveros com os judeus brasileiros

Esta não é a primeira vez que Ciro tem entreveros com os judeus brasileiros

Renato Cortez/Futura Press/Folhapress - 23.4.2019

A comunidade judaica brasileira tem um motivo a mais para não gostar do ex-governador e ex-ministro Ciro Gomes (PDT). Nesta segunda-feira (7) a Conib (Confederação Israelita do Brasil) emitiu uma nota em que critica uma "manifestação preconceituosa" publicada por Ciro no Facebook:

— O ex-governador Ciro Gomes decidiu acusar ‘empresas corruptas’ de Israel por suposto financiamento ilegal da campanha do presidente Jair Bolsonaro. Impressiona a recorrência de Ciro Gomes nesse tipo de afirmação quando se trata de Israel e da comunidade judaica brasileira. Mas tudo tem limite. E o ex-ministro já passou desse limite.

Para o candidato à Presidência em 2018, "só nosso judiciário esquisito é que não sabe do dinheiro estrangeiro, aos milhões de dólares e euros que pagaram publicidade no Facebook e impulsionamentos ‪(5,5 milhões de mensagens por semana) no WhatsApp a partir de servidores na Espanha, nos Estados Unidos e com empresas corruptas de Israel".

O Conib afirmou que "acusações abstratas e genéricas provam apenas a postura preconceituosa de Ciro" e ainda fez uma sugestão para o pedetista:

— Sugerimos a ele que diga quais são essas empresas e pessoas e apresente comprovação de suas acusações.

Esta não é a primeira vez que Ciro tem um entrevero com os judeus do Brasil. No início do ano ele falou genericamente e sem comprovação em amigos “corruptos da comunidade judaica” do Presidente Jair Bolsonaro. A Conib, juntamente com a SIC (Sociedade Israelita do Ceará) processaram o político por injúria racial.

Para Fernando Lottenberg, presidente da Conib, atitudes como a desta segunda "deslegitimam o pedido de desculpas que ele fez recentemente após suas declarações antissemitas".

Cofira abaixo a nota da Conib na íntegra:

O ex-governador Ciro Gomes voltou a fazer acusações genéricas e sem comprovação alguma contra judeus. Depois de falar no início do ano em “corruptos da comunidade judaica” e ser alvo de processo criminal por isso, aberto pela Conib e a SIC, Ciro agora fala em “empresas corruptas de Israel” em post no seu Facebook.

“Em mais uma manifestação preconceituosa, o ex-governador Ciro Gomes decidiu acusar ‘empresas corruptas’ de Israel por suposto financiamento ilegal da campanha do presidente Jair Bolsonaro. Impressiona a recorrência de Ciro Gomes nesse tipo de afirmação quando se trata de Israel e da comunidade judaica brasileira. Mas tudo tem limite. E o ex-ministro já passou desse limite. Sugerimos a ele que diga quais são essas empresas e pessoas e apresente comprovação de suas acusações. Acusações abstratas e genéricas provam apenas a postura preconceituosa de Ciro e deslegitimam o pedido de desculpas que ele fez recentemente após suas declarações antissemitas”, disse Fernando Lottenberg, presidente da Conib.